Tamanho do texto

A atriz, protagonista de “Bruna Surfistinha”, respondeu à declaração do presidente que disse que não pode “admitir que façam filmes como esse”

IstoÉ

A atriz da Globo Deborah Secco, protagonista de “Bruna Surfistinha”, respondeu à declaração do presidente Jair Bolsonaro de que não pode “admitir que com dinheiro público se façam filmes como esse” ao basear a decisão de transferir o Conselho Superior de Cinema para a Casa Civil. Em áudio enviado por sua assessoria de imprensa, a atriz comentou a frase.

Leia também: Deborah Secco muda de visual e é comparada com Íris de "Laços de Família"

Deborah Secco arrow-options
Divulgação
Deborah Secco

“Fiquei muito triste e um pouco chocada do filme ter sido colocado nesse lugar. Temos que falar sobre tudo para que, através da arte, possamos debater sobre a realidade. Não podemos nos calar vendo tudo isso”, afirmou Deborah Secco .

Leia também: De lingerie, Deborah Secco prova que nude é a "cor mais quente"

“A história retrata uma história real, não só da Bruna, mas de outras mulheres que se encontram nessa situação. Queria muito que nenhuma mulher tivesse que se vender para sobreviver, mas essa não é a realidade nosso país”, completou a atriz da Globo .

Leia também: "Gringos copiando brasileiros": diz Deborah Secco sobre look de Jennifer Lopez

Lançado em 2011, o filme “ Bruna Surfistinha ”, estrelado por Deborah Secco , teve orçamento de cerca de R$ 4 milhões e usou recursos captados na Lei do Audiovisual, sendo a maior bilheteria daquele ano, visto por mais de 2 milhões de pessoas nos cinemas.