Tamanho do texto

Entre os itens da coleção estão calcinhas de cetim, escova e uma carta de rompimento do rapper Tupac, e ex-namorado da Rainha do Pop

Madonna perdeu uma batalha legal para impedir um leilão de uma coleção de pertences íntimos, como um par de calcinhas de cetim, uma escova com fios de seu cabelo e uma carta de rompimento de um ex-namorado, o falecido rapper Tupac Shakur. 

Leia também: Rebolativa e funkeira: quem é a portuguesa que uniu Anitta e Madonna?

Madonna e Tupac
Divulgação
Madonna e Tupac

Um tribunal de apelações do estado americano de Nova York, nos Estados Unidos, abriu caminho para o leilão nesta terça-feira (04), dizendo que Madonna não pode apresentar queixas contra Darlene Lutz, ex-amiga e consultora de arte ou o site de leilões ao qual a mesma confiou os itens para venda em consignação.

Leia também: Madonna é proibida de gravar clipe em palácio de Portugal e se revolta

Em comunicado, A Divisão de Apelações disse que as reivindicações da cantora estão barradas por uma liberação “muito abrangente” de seu acordo de 2004 com Darlene, que está “livre para fazer o que desejar com a propriedade”.

Em resposta, a cantora disse que não sabia que Darlene, que trabalhou para ela de 1981 a 2003, possuía os mais de 20 itens em disputa até tomar conhecimento do leilão. Os advogados da Rainha do Pop não responderam de imediato, se a loira pedirá apelação.

"O tribunal chegou à decisão absolutamente certa", disse Hartley Bernstein, advogado dos acusados, em uma entrevista. A propriedade é da senhorita Lutz para que ela faça o que desejar. A decisão de 5 a 0 desta terça (05) manteve uma anterior, tomada em abril de 2018 pelo juiz Gerald Lebovits, da Suprema Corte estadual em Manhattan".

Leia também: Valesca Popozuda se inspira em Madonna em novo clipe

Na carta manuscrita de 15 de janeiro de 1995, Tupac Shakur disse que estava terminando seu relacionamento com Madonna por achar que namorar uma mulher branca poderia ameaçar sua carreira.