Tamanho do texto

Ao iG Gente, humorista falou sobre fase profissional, novos trabalhos, colaboração com Tatá Werneck na série "Shippados" e perrengues no teatro

A personalidade dele transborda humor! Cheio de maneirismos e talento, Eduardo Sterblitch, 32, é um dos nomes mais conhecidos do Brasil em matéria de comédia. Ao iG Gente o ator e humorista falou sobre seu momento atual, novidades na carreira, sua peça de teatro e “Shippados”, série que gravou e que é exclusiva para o Globoplay - plataforma de streaming da Globo .

Leia também: As dez maiores polêmicas do "Pânico"

undefined
Eduardo Valentim
Eduardo Sterblich brilha no teatro e na TV

Intitulada “ Eduardo Sterblitch Não Tem Um Talk Show”, a peça de teatro foi montada pela primeira vez em 2016 e encerra seu ciclo em São Paulo, onde ficará a partir desta quarta (27) até 2 de maio.

Leia também: Humorista do "Pânico" Eduardo Sterblitch se casa com atriz no Rio

Sobre o título da peça ser uma indireta, Edu nega e explica que o nome da obra faz alusão à saturação do formato na televisão: “A piada é: como têm muito talk show, principalmente, liderado por humoristas, eu brinquei com esse abuso do gênero. Como se todas as emissoras tivessem dito ‘não’ para mim”.   

undefined
Reprodução / Instagram
Banner de divulgação da peça de Eduardo Sterblitch

Dinâmica e mutante, a peça tem um roteiro base para que o humorista não se perca, mas não se prende a ele. Simulando um talk show no teatro, onde o público, além de espectador, é protagonista, Sterblitch se joga nos improvisos.  

“Cada pessoa tem uma história diferente, e tenho que fazer que isso renda o quadro, têm que funcionar”, explica. Em seguida, o humorista relembra adversidades que passou.

“Fui fazer o número com uma pessoa, porém, ela estava armada. Na hora eu comprei todo o nervoso da situação e o desvalidei, como se não fosse nada. Senão as pessoas da plateia poderiam se desesperar. Ninguém sabe, mas na hora fiquei nervoso, eu odeio armas”.

Sobre a experiência de se fazer humor em tempos de polarização política, Sterblitch não esconde o nervosismo. “Está mais difícil acessar as pessoas, as pessoas estão mais loucas, está todo mundo muito nervoso. O papel da arte é tocar as pessoas e fazer isso, diante deste cenário, é muito difícil”.

A vida de Eduardo Sterblitch no streaming

undefined
Reprodução / Instagram
Eduardo Sterblitch e Tatá caracterizados para a série "Shippados"

Além da vida no teatro, Edu também se prepara para estrear no Globoplay com a série “Shippados”, onde divide a tela com Tatá Werneck em uma série que mistura o vintage com o virtual. Sobre a experiência, ele não poupa palavras.

“Eu vi alguns trechos e já gostei muito. Eu achei também muito diferente do que eu vejo na comédia do Brasil atualmente. Acho que vai ser essa a visão de quem assistir a série”

Sobre seu personagem, Eduardo rasga seda: “Ele é genuíno, meu personagem e o da Tatá Werneck percebem que podem dar certo juntos, no início eles acham um absurdo, mas acabam tentando”.

“São personagens muito autênticos, que acabam se apaixonando. É uma série que fala sobre o amor, sem perder essa coisa da loucura de ser jovem”, acrescenta ele.

Sobre a experiência de fazer par romântico com Tatá, Sterblitch declama: “Maravilhoso, eu conheço ela há anos, eu tentei levar ela para o ‘Pânico’, à época fazíamos teatro de improviso por R$ 30 reais. A gente virou amigo realmente depois das gravações dessa série. Viramos super amigos, foi divertido”.

undefined
Reprodução / Instagram
Eduardo Sterblitch durante a peça de teatro

Leia também: Aniversariante, Eduardo Sterblitch surge nu no Instagram da mulher

Com “ Shippados ” marcada para estrear em maio, a peça “Tio” para o mesmo mês em Campinas e “ Eduardo Sterblitch Não Tem Um Talk Show” em cartaz em SP até maio, o humorista não pode reclamar de sua agenda. Gozando de bons frutos, ele faz mistério com seu futuro: “Minha vontade é estar em lugares onde o público não espera que eu esteja”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.