Tamanho do texto

Seja na Band ou na RedeTV!, a versão televisiva do "Pânico" ficou marcada por suas várias polêmicas; relembre as dez maiores

Há 14 anos no ar, a versão televisiva do "Pânico" sempre foi marcada por polêmicas. Seja na Band ou na RedeTV!, o programa ficou conhecido por suas brincadeiras com celebridades, mas também por ter feito muita gente perder a cabeça.

Leia também: Agredido no "Pânico", youtuber diz que estuda processar a Band

Eduardo Sterblitch interpretou o personagem Africano em quadro do 'Pânico na Band'
Reprodução
Eduardo Sterblitch interpretou o personagem Africano em quadro do 'Pânico na Band'

Veja abaixo as dez maiores polêmicas do "Pânico" :

Machismo

Uma das mais recentes polêmicas do programa aconteceu no mês passado, quando um dos humoristas do programa apareceu com o que parecia ser seu pênis para fora da calça durante o quadro "Poim na Tela", que imita o "Brasil Urgente". Mesmo sem saber se aquilo era mesmo o órgão genital do humorista ou uma prótese, muita gente ficou indignada com a situação. 

Netinho de Paula

Em 2005, uma das mais famosas polêmicas envolvendo o antigo "Pânico na TV" foi protagonizada por Netinho de Paula e o Repórter Vesgo (Rodrigo Scarpa), quando o cantor agrediu o humorista com um soco no rosto. A cena aconteceu em um evento na época do lançamento da TV da Gente, um canal UHF que era comandado por Netinho. O artista perdeu a cabeça depois de uma pergunta do repórter. "E aí, Netinho, quer dizer que você vai abrir seu canal pra todo mundo?", disse Vesgo, causando a ira do músico. O humorista entrou na Justiça contra o cantor e conseguiu uma indenização de R$ 44 mil.

Clodovil

Em 2004, uma das missões do humorístico era entregar as "sandálias da humildade" a Clodovil, que na época também tinha um programa na RedeTV!. Entretanto, o apresentador não entrou na brincadeira e se recusava a receber o presente, o que fez com que a equipe do programa passasse a persegui-lo. Em uma das perseguições mais espetaculares, os humoristas chegaram a usar carros e helicópteros atrás do apresentador. Por sua vez, Clodovil usava seu espaço na RedeTV! para criticar o programa e chegou a fazer um desabafo ao vivo. Meses depois de toda a confusão, o deputado foi demitido, mas nunca calçou as sandálias.

Leia também: Enganada pelo "Pânico", Ana Paula quebra contrato com a Globo e pode ser punida

O personagem Jô Suado
Reprodução
O personagem Jô Suado

Jô Soares

Outro perseguido pelas "sandálias da humildade" foi Jô Soares. O apresentador se recusou a calçar as sandálias por muito tempo, mas finalmente cedeu após muita insistência. Na ocasião, a equipe do humorístico usou a pata de um elefante como molde para o calçado, o que causou muitas críticas. Depois, Jô e o "Pânico na TV"  voltaram a protagonizar uma polêmica, desta vez por causa de uma imitação. Na época, Carioca apresentava um quadro como o personagem Jô Suado, mas o apresentador não autorizou a imitação e se recusava a dar entrevistas ao programa. Tempos depois, ele explicou o motivo. "Adoro o Jô Suado. Mas seria deselegante com a Globo, que estava fazendo reportagem sobre o lançamento do seu livro, dar entrevista ao ‘Pânico’ naquela noite. Tenho o direito de não dar entrevista", disse em entrevista ao programa "Roda Viva", em 2011.

Victor Fasano

Outro famoso que agrediu o repórter Vesgo foi Victor Fasano. O caso aconteceu em 2004, quando o repórter foi entrevistar o ator e fez uma piadinha com seu nome. "Victor Faz Anos que não te vejo", disse Scarpa. O artista respondeu com um tapa na cara do humorista. "Honestamente, não me arrependo do que fiz. Mesmo porque não fiz para machucar. Foi só um alerta. O rapaz ficou apenas um pouco ruborizado", disse Fasano em entrevista, um ano depois. Em 2013, a dupla voltou a se encontrar, mas o ator cumprimentou cordialmente o repórter.

Preta Gil

Durante anos, Preta Gil foi alvo dos humoristas do "Pânico na TV". Mas a gota d'água foi quando eles tentaram entregar um ovo de páscoa gigante para a cantora. A filha de Gilberto Gil entrou na Justiça contra o programa, alegando danos morais, e recebeu R$ 100 mil de indenização. Em 2014, a cantora voltou a criticar o programa, que já estava na Band. Na época, ela não gostou de uma brincadeira que os humoristas fizeram com André Marques logo após o apresentador perder peso.

Africano

Em 2015,  Eduardo Sterblitch causou revolta com o personagem Africano, um dos competidores da paródia que o "Pânico na Band" fez do "MasterChef Brasil". O personagem, que tinha o rosto todo coberto com tinta preta, não falava e só fazia sons inteligíveis, como se fosse um selvagem. Por essa imitação, o humorista foi denunciado por racismo. Depois da repercussão negativa, Sterblitch pediu desculpas. O ator saiu da atração e hoje está na Globo.

Carolina Dieckmann

Outra vítima das "sandálias da humildade" foi Carolina Dieckmann. A atriz se recusou a calçar as sandálias e foi perseguida por Rodrigo Scarpa e Wellington Muniz. Em um dos pontos mais críticos da perseguição, a dupla foi ao condomínio onde a artista morava e tentou chamar a atenção dela com um guindaste e um megafone. Depois desse episódio, Dieckmann entrou na Justiça contra o programa e ganhou R$ 35 mil por danos morais. 

Luana Piovani foi perseguida pelo
Divulgação/Band
Luana Piovani foi perseguida pelo "Pânico na Band"

Luana Piovani

Em 2008, Luana Piovani também processou o "Pânico na TV" por causa das sandálias da humildade. Na época, ela entrou na Justiça por causa da perseguição que vinha sofrendo pela equipe do programa e ganhou R$ 150 mil de indenização. Seu então namorado, Dado Dolabella, também ganhou R$ 50 mil. Depois, em 2014, a atriz voltou a se envolver em uma polêmica com o programa. Os humoristas tentaram entrevista-la na praia e a perseguiram depois da recusa da atriz em conceder a entrevista. Ela entrou com uma liminar e o programa foi proibido de persegui-la, citar o nome ou usar a imagem dela. Além disso, a artista processou o diretor Alan Rapp, Emílio Surita, Rodrigo Scarpa e a Band.

Leia também: Brincadeira do "Pânico" gera revolta na Comic Con Experience

CCXP 2015

Em 2015, o "Pânico na Band" causou polêmica na CCXP, em São Paulo. Tudo porque a equipe tirou muito sarro dos frequentadores do evento, focado em cultura pop. Em uma das cenas mais graves, o repórter Lucas Maciel lambeu uma garota que estava fazendo cosplay. A matéria revoltou os frequentadores e a organização do evento, que baniu o programa das próximas edições da Comic Con Experience.

    Leia tudo sobre: