Tamanho do texto

Dona de um talento brilhante e uma grande determinação, Beatriz Segall começou a estudar teatro em 1950 e se tornou um ícone da televisão

Nascida no Rio de Janeiro, Beatriz Segall teve uma linda trajetória composta por sete décadas dedicadas ao teatro , cinema e televisão. Conhecida por interpretar vilãs ricas e ambiciosas, a atriz ganhou grande notoriedade com Odete Roitman , a milionária de “Vale Tudo”.

Leia também: Beatriz Segall: "Não sou velha, aos 85 anos sou no máximo antiga" 

Atriz Beatriz Segall
Divulgação
Atriz Beatriz Segall

Dona de um talento brilhante e uma grande determinação, Beatriz Segall começou a estudar teatro em 1950, quando ganhou uma bolsa na França, em Paris. Lá conheceu Maurício Segall, com quem se casou em 1954 e teve três filhos: Sérgio Toledo, Mário Toledo, Paulo Toledo.

Leia também:Atriz Beatriz Segall, eterna Odete Roitman, morre aos 92 anos

Início da carreira de Beatriz Segall

Em 'Dancin' Days', Beatriz Segall era Celina, mãe de Cacá, interpretado por Antônio Fagundes
Reprodução/Acervo Globo
Em 'Dancin' Days', Beatriz Segall era Celina, mãe de Cacá, interpretado por Antônio Fagundes

A atriz que veio de uma família de professores chegou a dar aula de francês quando jovem, mas viu que seu sonho não estava em uma lousa, mas sim, em cima de um palco. Ao longo dos anos Beatriz interpretou inúmeras personagens, grande parte que marcaram a história da dramaturgia brasileira.

Entres seus trabalhos estão: Lourdes Mesquita de “Água Viva“ (1980), Celina de “Dancin' Days” (1978), Norah Brandão de “Pai Herói” (1979), Laura de “Sol de Verão” (1982) e Eunice de “Champagne” (1983), sua única personagem pobre na TV.

O reinado da eterna Odete Roitman

A maior vilã milionária da história: Odete Roitman em
Reprodução
A maior vilã milionária da história: Odete Roitman em "Vale Tudo"

No entanto, foi em 1988, com sua personagem Odete Roitman, em “Vale Tudo”, que Beatriz entrou no auge de sua carreira. A novela que ficou famosa com a frase "quem matou Odete?", parou o Brasil durante a virada de 1988 para 1989.

A vilã foi tão aclamada que inspira personagens maldosas até os dias atuais. Na época, a artista não podia sair em lugares públicos que era cercada por inúmeros fãs pedindo autógrafos e demostrando seu carinho por seu papel.

Cinema e premiação

Beatriz Segall
Reprodução/Acervo Globo
Beatriz Segall

Já no cinema a atriz participou de produções como “O Cortiço” (1978), “Os Amantes da Chuva” (1979), “Pixote, a Lei do Mais Fraco” (1981), “Desmundo” (2003), “Família Vende Tudo” (2011), entre outros.

Reconhecida como uma das melhores atrizes da dramaturgia brasileira, Beatriz recebeu vários prêmios na carreira, entre eles os prêmios “Governador do Estado”, “Prêmio Shell” e “Mambembe”.

Leia também: O horário Globo: televisão aberta pauta e influencia a vida do brasileiro

Um longo caminho

Beatriz Segall em “Os Experientes“ (2015)
Divulgação/TV Globo
Beatriz Segall em “Os Experientes“ (2015)

Apesar de ter trabalhado a maior parte de sua carreira na Rede Globo , a atriz também passou pela RecordTV , em “Bicho do Mato”(2006), onde atuou como a antagonista Bárbara, uma avó fria e sem coração. Contudo, logo voltou para a emissora carioca, para viver mais uma vilã, Maria Beatriz na 1ª temporada da série “Lara com Z” (2011). Quatro anos depois, Beatriz participou de mais um seriado “Os Experientes“ (2015), onde viveu a personagem Yolanda, seu último trabalho na televisão.

Mais que uma atriz, uma estrela!

Antes de ser assassinada,  Odete Roitman (Beatriz Segall) fez de tudo, de tudo mesmo, para separar Ivan (Antonio Fagundes) de Raquel (Regina Durte)
Reprodução
Antes de ser assassinada, Odete Roitman (Beatriz Segall) fez de tudo, de tudo mesmo, para separar Ivan (Antonio Fagundes) de Raquel (Regina Durte)

Além de atuar muito bem, Beatriz Segall era uma excelente cantora. Com um rosto marcante, a atriz possuía o que muitos chamam de ‘fisionomia de aristocrata’, qualidade que se encaixava perfeitamente ao interpretar mulheres poderosas. Beatriz foi uma artista completa, com 70 anos de carreira e muito carisma. A carioca nos deu o privilégio de acompanhar a vida de um dos maiores nomes femininos da atuação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.