Tamanho do texto

Candidata no concurso que dá a capa da edição de 25 anos da revista Sexy protestou contra uma das polêmicas da semana. Votação vai até segunda (2)

Débora Dunhill resolveu protestar
F Mídia Press / Revista Sexy
Débora Dunhill resolveu protestar

A modelo e apresentadora Débora Dunhill, que disputa o concurso A Garota Sexy Clube, que dá a vencedora a capa da Sexy no mês de aniversário de 25 anos da revista, revelou que na adolescência se relacionava com outras meninas de seu colégio e que sua família a levava em uma igreja evangélica em busca de “cura”.

Leia também: Sensuais e poderosas! Conheça as 18 candidatas à "Garota Sexy Clube"

“Minha avó que era evangélica e bem religiosa me pegou beijando minha colega de classe, desde aí ela me forçava ir aos cultos e pedia ao pastor que expulsasse o espírito do lesbianismo de dentro de mim”, revela Débora Dunhill. Ela conta que sempre foi bissexual e que namorou meninos também, mas que sempre gostou da companhia feminina. “As mulheres são mais carinhosas que homens e no sexo é diferente, tem mais toque e ternura”, completa

Leia também: Vanusa Hoppe, do Garota Sexy Clube: "Vou tatuar a logo da revista no bumbum"

Protesto

Para protestar contra a pretensa “cura gay” que tomou conta do noticiário nos últimos dias, a gata fez fotos em que usa seu corpo como forma de anúncio: “Não tenho cura”. “Acho tudo isso que está acontecendo um absurdo, não existe essa de curar algo que não precisa de mudança, cada um tem sua opção sexual e ela merece ser respeitada”, desabafa. 

O concurso

“A Garota Sexy Clube 2017” conta com a participação de 18 candidatas que farão de tudo para levar o prêmio final – a capa da edição especial do aniversário de 25 anos da publicação. Com perfis que vão de ex-atriz pornô a bissexual assumida, a competição entre elas será acirrada e não vão faltar polêmicas. 

“A ideia do concurso é promover a sensualidade da mulher brasileira. Aqui silicone não é problema, desde que a candidata atenda ao requisito fundamental: ser bonita e sexy”, explica Felipe Almeida, o idealizador do projeto. A votação vigora até segunda-feira (2) no site da revista.

Bissexuais na disputa

Débora Dunhill não é a única candidata assumidamente bissexual na disputa. Greyce Vski também apostou na intensidade de sua sexualidade como plataforma de campanha e até revelou babar nas outras candidatas .