Tamanho do texto

Protagonista da novela das 9 e com três filmes previstos para estrear em 2017, Isis Valverde fala sobre período sabático e como renovou a carreira

2017 tem tudo para ser o ano de Isis Valverde. Na TV, ela dá vida a Ritinha em “ A Força do Querer ”, sua primeira protagonista no horário nobre. Com sua inocência misturada com a personalidade forte, Ritinha é uma força da natureza que afeta todos a sua volta, seja Ruy ( Fiuk ), Zeca (Marcos Pigossi) ou até Joyce (Maria Fernanda Cândido).

Leia também: Relembre dez novelas marcadas por polêmicas

Isis Valverde estreia como protagonista no horário nobre em
Reproduçao TV Globo
Isis Valverde estreia como protagonista no horário nobre em "A Força do Querer"

Mas, além da jovem sereia, Isis Valverde tem outros três papeis engatilhados para 2017, todos no cinema. Em entrevista ao iG , ela conta que tem três filmes para ser lançados esse ano. O primeiro deles como a youtuber Katrina em “ Amor.com ”, que estreia em 1º de junho. No filme, ela interpreta a jovem que ganhou fama com suas dicas de moda na internet, e agora enfrenta os conflitos de viver uma vida on-line e uma off-line.

Leia também: Isis Valverde retorna à TV com sua primeira protagonista no horário nobre

Katrina é descolada, conectada e, principalmente, cheia de seguidores. Tudo o que ela faz ou fala nas redes importa, e ela, consequentemente, tem um cuidado muito grande com a imagem que passa. O que não parece em nada com a Ritinha da novela. “A Ritinha está pouco se lixando para o que os outros pensam dela”, comenta Isis sobre as diferenças das duas personagens.

Para ela, Katrina seria o sonho de consumo da sogra Joyce, com um guarda-roupa dos sonhos, e bem feminina. “A Katrina poderia ter sido a filha que a Joyce sempre sonhou – e a Ritinha é o terror dela”, brinca Isis.

Sem parar

Do tema atual e moderno, ela volta ao passado como Tereza, no filme sobre a história do cantor Wilson Simonal. Por fim, ela entra na fantasia em “Malasartes e o Duelo com a Morte”, ambos com estreia prevista para o segundo semestre. Em “ Simonal ”, ela volta a contracenar com Fabrício Boliveira, seu parceiro em “ Faroeste Caboclo ”, como o interesse amoroso do músico. Já em “Malasartes”, ela faz Áurea, apaixonada pelo trapaceiro que dá nome ao filme, interpretado por Jesuíta Barbosa .

Isis Valverde vive um romance com Gil Coelho em
Divulgação
Isis Valverde vive um romance com Gil Coelho em "Amor.com"

“Eu gosto de mudar”, continua a atriz. Ela comparou a profissão com barro, que pode ser desmanchado e remoldado para formar algo novo. Para ela, esse é o papel do ator: se reinventar.

Foi justamente com a ideia de se renovar que ela aceitou fazer a comédia “Amor.com”. Isis conta que tinha receio de fazer comédia no cinema e tinha até uma certa rejeição ao gênero, o que hoje considera uma idiotice. “Eu sempre gostei mais de drama, sempre tive essa veia dramática. Você já viu personagens meus dramáticos e cômicos, mas no cinema me assustava”, admitiu. Ela diz que se apaixonou pela história do filme e percebeu que não deveria ter medo, mas sim abraçar a oportunidade.

Crescimento

A confiança e o desejo de se transformar como barro não vieram da noite para o dia. Depois de encerrar “Boogie Oogie” no começo de 2015, Isis decidiu que precisava de um tempo. “Eu precisava ir embora, eu precisa estudar, eu precisava rever minha carreira”, confessa. Ela queria aprender novos métodos de atuação e se renovar. Por isso, fez as malas e se mudou para Nova York, onde passou uma temporada estudando o método de atuação de Stella Adler, além de ter aulas de inglês. “Eu voltei com sede”, comenta. “Fui embora, já tinha rodado um filme de fantasia, voltei, rodei mais dois filmes e comecei a novela. Estou cansada, mas realizada”, completa.

Em
Divulgação/Globo Filmes
Em "Simonal" Isis interpreta Tereza, interesse amoroso do cantor

Para Isis Valverde , a experiência foi enriquecedora, e ela busca aplicar o que aprendeu em seus papeis. Ela diz que está tentando praticar o método aprendido em seu trabalho, e sente uma mudança na prática. “O ator busca evolução – se eu consegui eu não sei. Eu tentei”, comenta. “Eu estou crescendo, estou aprendendo”, conclui.

Leia também: 10 razões que fazem do “Lady Night” de Tatá Werneck um sucesso

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.