Tamanho do texto

Ter sucesso na internet tornou-se uma porta de oportunidades para muitas pessoas, entretanto, o segredo para chegar lá ainda não foi revelado na rede

Estar nos holofotes atualmente não é mais sinônimo de se prender a um estúdio de televisão. Para fazer fama, basta ter um bom ângulo, uma câmera e uma simpatia que conquiste a internet . Ser uma webcelebridade é um fenômeno da nova era digital e tem dado oportunidade a diversas pessoas comuns de brilharem como celebridades no universo dos famosos. Mas afinal, como é possível tornar-se uma webcelebridade ?

Entrar para o universo das celebridades ganhou um novo significado diante da era digital
MARCIO JOSE SANCHEZ/AP PHOTO
Entrar para o universo das celebridades ganhou um novo significado diante da era digital


Leia também: Christian Figueiredo quer tudo e mais um pouco: internet, livros, TV e cinema

Mariana de Souza Alves Lima, mais conhecida como MariMoon é considerada uma das primeiras  celebridades que a internet já ascendeu para o mundo da fama. A paulistana começou publicando fotos suas no extinto Fotolog, uma espécie de blog voltado para fotografia e quando ela menos viu, já tinha conquistado diversos fãs pela internet. “Tudo o que eu fiz sempre foi muito orgânico e movido pela paixão da coisa, por procurar conexão com as pessoas que tinham alguma coisa a ver comigo e eu não encontrava na vida real”, revelou a influenciadora digital em entrevista ao iG. “A coisa começou a crescer mais e mais e quando você vê na verdade não foi de uma hora pra outra, foram passos pequenos, só fui entrar na MTV em 2008 demorou bastante e eu fui me adaptando, aceitando, curtindo”, completou Mari, que chegou a ser VJ do canal por conta do seu sucesso nas redes.

O mesmo aconteceu com Bibi Tatto. Com apenas 16 anos de idade, a jovem criou um canal no YouTube para falar sobre um jogo na internet, o Minecraft. “Quando eu comecei a jogar, eu descobri que pessoas produziam vídeos com esse jogo e eu me inspirei”, comentou em entrevista ao iG . Com mais de três milhões de inscritos em seu canal, Bibi afirma ter ajuda dos seus pais para administrar a sua recente fama. “Eu sempre tomo bastante cuidado, meus pais sempre me orientam a melhor coisa para fazer. Por exemplo, nos meus vídeos eu sempre não falo palavrão, sempre passo mensagens boas, para influenciar de forma positiva quem assiste, e como eu sou menor meus pais me ajudam bastante nisso para ter as melhores decisões e também lidar com a parte administrativa do canal”, contou Bibi.

Leia também: Anitta participa de vídeo cômico com Lele Pons, webcelebridade venezuelana

Apesar de ambas terem conquistado o sucesso de forma orgânica, algumas pessoas já entenderam o segredo do sucesso e dedicam a sua carreira a trazer a tona pessoas do anonimato para os holofotes, como Cacau Oliver. Idealizador do “Miss Bumbum Brasil” e reconhecido por divulgar a imagem de Andressa Urach na mídia, o jornalista contou ao iG qual é o seu maior aliado na corrida da fama. “A notícia, como nós conhecemos há 10 anos para hoje existe uma grande mudança. Hoje uma notícia que você escreve 10 horas da manhã pode estar velha ao meio dia. As redes proliferam essa notícia de uma forma muito rápida. Então acho que uma técnica muito boa hoje em dia são as mídias sociais. Uma técnica que ajuda muito o assessor de imprensa a transformar esses anônimos em celebridades”, confessa o jornalista.

Conteúdo ou imagem?

Mari Moon já apostou também no YouTube
Reprodução/Youtube
Mari Moon já apostou também no YouTube

Tanto MariMoon quanto Bibi Tatto são influenciadoras digitais, produzem conteúdos e viraram referências quando o assunto é cultura pop e Minecraft, respectivamente. “Eu acho interessante essa coisa de tocar as pessoas passar uma mensagem e é uma responsabilidade muito grande. Eu senti o peso disso ao receber uma mensagem de uma pessoa dizendo que eu mudei a vida dela. Eu gostei dessa função e abracei a ideia e tento passar a mensagem que são valiosas para a sociedade. É legal você ter um twitter que tem milhão de seguidores e você divulgar coisas que o Greenpeace, por exemplo, e ao mesmo tempo levantar um pouco de humor, algo como ‘olha como as coisas são bonitas’”, comentou MariMoon sobre sua atuação nas redes.

Leia também: Dez vezes em que Whindersson Nunes viralizou na internet

Apesar de produzirem conteúdo para a internet, a fama muitas vezes não vem pela troca de informações, mas sim apenas pela imagem que alguma celebridade pode oferecer, como afirma Cacau Oliver. “Eu acredito que pessoas como as Kardashians e a Paris Hilton vieram para quebrar esse tabu de que elas têm que fazer alguma coisa. Nem sempre é preciso saber cantar, atual, ser global ou fazer alguma coisa. Existem celebridades que apenas querem ser celebridades”, comenta o jornalista. “A mídia tem que ser sempre alimentada. Vocês como mídia, sempre precisarão de notícias e as celebridades sempre estarão em busca de fama. É um caminho de ida e volta”, completa. Para ele, “as webcelebridades precisam estar antenados com as notícias e dar opiniões redundantes sobre os assuntos”.  

15 minutos de fama?

Com a velocidade das notícias, muitas pessoas conseguem conquistar o seu espaço nos holofotes, mas não necessariamente permanecem por lá durante muito tempo. “Hoje em dia é mais fácil construir celebridades, mas mudou-se o ditado popular. Os 'quinze minutos de fama' se transformaram em quinze segundos, por conta da velocidade da notícia. Então é mais fácil fazer celebridades, mas é mais difícil mantê-las na mídia”, revela Cacau Oliver.

MariMoon revelou que a primeira matéria na mídia que saiu sobre sua ascensão na internet tinha o título de “15 pixels de fama” e que apostaram que seu sucesso teria data de validade. “Hoje em dia a quantidade de gente que tá criando conteúdo na internet é literalmente infinita. Na minha época só tinha uma rede social, era muito mais fácil você fazer sucesso, dar certo criar um negócio. Quando as coisas estão no começo é muito mais fácil você fazer algo que não foi feito. É difícil ser criativo e criar uma parada inédita”, reflete. “Uma coisa que me acho estranha é a pessoa ter um canal de gastronomia e ela vai ter que fazer isso o resto da sua vida? Vai ter assunto para você falar por tanto tempo? Até onde você vai com esse projeto? Você vai ser conhecido por ser aquela pessoa, vai se estigmatizar com aquela imagem”, completa.

A jovem já pensa em seguir carreira na internet
Reprodução
A jovem já pensa em seguir carreira na internet

Entretanto, fazer conteúdo na internet parece ter conquistado a nova geração. Bibi Tatto revelou que quando começou a fazer sucesso, seus colegas da escola questionavam sobre como ela havia feito para chegar lá. “Meus amigos depois que viram como que funciona todo o processo de criar um canal até você virar uma webcelebridade, eles tiveram muita vontade. Muitos deles conversavam comigo e perguntavam como que era isso tudo, até antes de eu fazer sucesso. Acho que a maior barreira que eles enfrentam em querer fazer um canal é a vergonha e a disponibilidade de gravar vídeo”, comentou. A jovem, que irá deixar o terceiro ano do ensino médio em breve já sabe o que quer fazer. “Eu já estou decidida que quero fazer faculdade de Rádio, Televisão e Internet. Minha vida muda muito a cada mês e parece que toma um rumo que eu não imaginava então eu não sei se vou fazer faculdade depois de acabar o colégio ou esperar e fazer depois, mas com certeza vou fazer” completa.

Conselhos de quem entende do assunto

“Não vai ser fácil, até porque tem que lidar com muita coisa, como por exemplo, uma pessoa chegar em você para você ter que fazer um conteúdo até amanhã. É uma pressão absurda, tem pressão dos amigos, querendo que você saia com eles e não tem tempo e ai do nada aparece uma viagem no fim de semana. Você tem que  lidar com critica e sempre tentar melhorar. Crescer no mundo da arte mas tem que ter noção que vai ser difícil mas se for isso mesmo o que você quer vai valer a pena” – Bibi Tatto

Cacau Oliver vai estrelar o reality show
Divulgação
Cacau Oliver vai estrelar o reality show "O Criador de Celebridades", no Canal E! Entertainment a partir de outubro

“Eu acho que tem que entender que produzir conteúdo na internet não é produzir conteúdo X as pessoas não precisam fazer vlog, tem muito em cima do que já tem, do que já tá certo, ao invés disso vai no cinema, assiste a um filme independente. Você pode fazer curtas, documentários, fazer entrevistas, tem tantas coisas maravilhosas no universo do audiovisual que vai além de falar sobre si, sobre sua opinião. É muito fácil você acessar conteúdo, o que tá rolando no mundo inteiro. Para de ver sempre a mesma coisa e ir mais par ao universo artístico que você vai ter mais idias criativas e o inédito” – MariMoon .

“Eu acredito que tem muita gente no mercado, muito youtuber, que fala muita bobagem, mas é isso. É um mundo novo, bem vindo ao mundo novo. É essa mistura de pessoas. A Fernanda Montenegro está num barco e a Peladona de Congonhas está no mesmo barco. Elas podem estar em andares diferentes - não estou comparando o que uma faz e o que a outra deixa de fazer -, mas a mídia é a mesma. A mesma mídia que fala de uma celebridade também vai falar de outra” – Cacau Oliver .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.