Tamanho do texto

Atriz que viverá um fim de março intenso, já que lança "Nem Sofá, Nem Culpa" e entra no ar com "Novo Mundo", bateu um papo com o iG; confira

Depois de bem sucedidas passagens pela MTV Brasil e pelo Multishow, Luisa Micheletti estreia na próxima semana na superprodução “Novo Mundo” , que ocupará nos próximos meses a faixa das 18h da Globo. Ela já atuou em “Malhação” e viverá a bailarina francesa Noèmi, alvo de uma paixão avassaladora de Dom Pedro I no Brasil colônia. A personagem é pequena e terá um arco apenas na primeira semana da novela, mas um arco muito maior inicia-se quase que concomitantemente na vida profissional da atriz e apresentadora.

Leia também: "Novo Mundo": saiba quem é quem na nova superprodução da Globo

Luisa Micheletti como Noémie em
Cesar Alves/TV Globo
Luisa Micheletti como Noémie em "Novo Mundo"

Nesta sexta-feira (17), ela lança seu primeiro livro, “Nem Sofá, Nem Culpa” , na Plana Festival Internacional de Publicações de São Paulo, no prédio da Bienal no Ibirapuera. Sobre esse momento de franca ebulição, Luisa Micheletti prefere a serenidade. “Procuro não criar muitas expectativas, mas quero aproveitar essas semanas”.

Leia também: Em estreia como escritora, Ana Carolina revela poetisa feroz em “Ruído Branco”

Essa estreia como escritora chega no tempo certo. Ela confessa em meio a um bate-papo descontraído com a reportagem do iG que o hábito de escrever cresceu com ela. Luisa tem 33 anos. Escrever virou uma obrigação, nos tempos de MTV foi orientada a manter um blog, e, finalmente, voltou a ser o grande prazer que Luisa intuía que seria – tanto que cursou Rádio e TV.

Atriz, apresentadora e agora escritora Luisa Micheletti
Divulgação
Atriz, apresentadora e agora escritora Luisa Micheletti

A ideia do livro surgiu das crônicas que publicava no blog. “Isso de virar contos partiu do meu editor”, relata. Ele propôs que ela fizesse uma oficina literária de um ano e que criasse ficção a partir de elementos reais. “Ele me ajudou a criar um estilo”.

Os sete contos de “Nem Sofá, Nem Culpa” não poderiam ser mais diferentes entre si, mas há algo que os une e este algo não é nada desprezível. “O que eles têm em comum é a semente real”, observa. “O diálogo da personagem com Shakespeare que pauta um dos contos, por exemplo, nasceu da minha experiência com a personagem”.

Ela conta que seu editor já a pressiona para um novo livro. Mas ela ainda hesita. Precisa processar tudo o que está acontecendo. A repercussão de sua estreia como autora, mas também sua passagem pela novela. Pensa em futuramente escrever uma peça. Afinal, “é preciso experimentar”.

 Leia também: Charlie Hebdo será mais agressivo em 2017, diz diretor da revista

Dança e desafio

Luisa conta que viver uma personagem real, mas restrita ao conhecimento de historiadores foi um desafio. O lado físico da personagem, que é bailarina, também representou uma provação. Foram meses ensaiando para uma cena de dança que faz parte do primeiro capítulo na novela.

Sobre o trabalho com Caio Castro , que faz o Dom Pedro a qual sua Noèmi será amante e com quem terá um filho, ela é só elogios. “Ele esteve super empenhado e dominou bem o sotaque português. Fez uma construção impressionante. Não me lembro de ter visto um Dom Pedro jovem, engraçado e até mesmo inconsequente na nossa dramaturgia”, observa.

Como pode se ver, Luisa Micheletti tem esse pendor para a análise. Característica desejável em uma atriz e essencial para uma escritora promissora.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.