Tamanho do texto

Filme traz a atriz como uma travesti que se reconecta com a irmã

Carolina Ferraz está prestes a estrear seu novo filme nas telonas, e a história não podia ser mais pertinente. Em “A Glória e a Graça”, a atriz interpreta Glória, uma travesti que, depois de mais de 15 anos, se reencontra com a irmã Graça (Sandra Corveloni), que tem uma doença terminal. Enquanto as irmãs se reconectam, Graça aproxima Glória de seus filhos, já que sua saúde pode piorar a qualquer momento. “É um filme de reencontro e de família”, diz Carolina no making-of exclusivo do IG . A atriz ainda elogia o roteirista Mikael Albuquerque: “a maneira como o Mikael conseguiu escrever e narrar essas situações foi muito humana”, ela elogia.

Leia também: Novo “A Bela e a Fera” atualiza encanto de um dos maiores clássicos da Disney

Carolina Ferraz em cena de
Divulgação
Carolina Ferraz em cena de "A Glória e a Graça"

O filme, que estreia dia 30 de Março, é marcado não só pelo drama familiar, como pela questão da inclusão. Na trama, Glória é estabelecida financeiramente e respeitada. Ela também vive conflitos pessoais pelo fato de não poder ser mãe. “Por que uma travesti não pode ser mãe?”, questiona sua amiga Fedra (Carol Marra) no trailer do filme, liberado no começo do mês .

Além da bela história, o filme emociona pela participação de Majorie Marchi, transexual militante que faleceu em 2016, antes do filme ficar pronto. Em depoimento no making-of, ela fala sobre a importância de “A Glória e a Graça”: “(o filme) vem como um divisor de águas, tirando as travestis e transexuais dos estereótipos e incluindo em uma discussão comum como a família e o direito de existir.

Completando o elenco estão ainda os atores mirins Vicente Kato e Sophia Marques, na pele de Moreno e Papoula, respectivamente. Os dois atores, que tiveram no filme sua estreia no cinema, receberam só elogios do diretor Flávio Tambellini. “São dois atores com um frescor e uma qualidade muito grande”, comenta.