Eric Clapton reclamou de ostracismo
Reprodução
Eric Clapton reclamou de ostracismo


Adepto a um discurso negacionista e antivacina, Eric Clapton revelou em entrevista a um canal do YouTube que suas opiniões durante a pandemia prejudicaram bastante seus relacionamentos pessoais. Em novembro de 2020, o guitarrista britânico chegou a lançar um single em parceria com Van Morrison com duras críticas às medidas restritivas do governo do Reino Unido, como o lockdown para conter a Covid-19.


“Tentei entrar em contato com outros músicos, mas simplesmente não tenho mais notícias deles. Meu telefone não toca, não recebo mais e-mails, é bastante perceptível”, disse Clapton ao Oracle Films.

O músico revelou também que chegou a cogitar a possibilidade de sair da Inglaterra com sua família e recomeçar a vida em outro país. Vacinado no começo do ano com o imunizante da AstraZeneca/Oxford, ele diz ter um “medo terrível de agulhas”.

Segundo o relato de Clapton, como efeitos colaterais: febre, dificuldade para dormir, e dores nas mãos e nos pés. “A vacina pegou meu sistema imunológico e o sacudiu, me assustou muito”, disse ele na entrevista.

Você viu?

Parte de uma minoria negacionista da classe artística, o guitarrista reclama de ter sido legado ao “ostracismo” e rejeitado até pela própria família. No entanto, mesmo com o avanço da vacinação em solo britânico, a diminuição das medidas restritivas e a queda da curva de casos e óbitos por Covid, Clapton mantém suas convicções controversas.

“Acima de tudo, acredito na liberdade de expressão e movimento. E na vida, no amor, e na gentileza. Eu vi desprezo dos dois lados e fui pego por este fogo cruzado”, argumenta ele.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários