Durante 21 dias do mês de agosto, período que passou gravando “Sob pressão — Plantão Covid”, o diretor Andrucha Waddington se submeteu a um processo que jamais esquecerá. E que nada tem a ver com as cenas que rolavam no set de filmagens do especial que estreia hoje (6), na Globo.

Reprodução/TV Globo
"Sob Pressão - Plantão Covid-19" estreia nesta terça-feira (6)


Diariamente, ao chegar em casa depois de uma jornada de trabalho, ele basicamente encarnava uma espécie de Tom Cruise em "Missão: Impossível". Mas em meio a uma pandemia.


— Eu botava uma fita crepe na câmera de segurança do corredor do prédio, tirava toda a roupa na porta de casa e entrava nu. Depois, falava à distância com a Nanda ( a atriz Fernanda Torres, sua mulher ) e meus filhos.

A preocupação com os protocolos de segurança, levados à risca por Andrucha em seu retorno cotidiano para casa, foi uma tônica das filmagens de “Sob pressão — Plantão Covid”. Em dois episódios de 40 minutos, a temporada especial da série se passa entre abril e maio, quando a pandemia se intensificava e, por todo o país, se construíam hospitais de campanha para cuidar dos doentes. O da série foi montado nos Estúdios Globo.

— Tínhamos atores interpretando personagens doentes, sem máscaras, instalados na ala de contaminados, enquanto aqueles em papéis de profissionais de saúde usavam máscara. Isso acabou gerando uma certa barreira natural entre eles, que fazia parte do contexto da cena — explica Andrucha.

O enredo tem como ponto de partida o retorno dos médicos Carolina (Marjorie Estiano) e Evandro (Julio Andrade) ao Rio após terem passado um período numa missão humanitária no interior do Brasil. A dupla é chamada às pressas pelo doutor Décio (Bruno Garcia) para trabalhar em um hospital de campanha montado para atender infectados pela Covid-19.

Para ler a reportagem completa e conferir os detalhes sobre a estreia de "Sob pressão — Plantão Covid", clique aqui.

    Veja Também

      Mostrar mais