Reportagem sobre o valor do banheiro no mercado do peixe na feira de São Joaquim, em Salvador, terminou na delegacia que não tinha delegado

Ticiane Bicelli , uma jornalista da TV Aratu , afiliada do SBT na Bahia , trocou tapas com uma entrevistada no mercado do peixe na feira de São Joaquim , em Salvador (BA), na semana passada. A reportagem que estava sendo gravada era sobre o valor cobrado pelo uso dos banheiros do local.

Leia também: Novelas: relembre as dez cenas mais marcantes dos últimos tempos

Jornalista do SBT é agredida durante reportagem
Reprodução/Youtube
Jornalista do SBT é agredida durante reportagem

De acordo com a jornalista , era para ser uma reportagem divertida, cujo objetivo era descobrir a razão da diferença de valor cobrado referente a cada uma das necessidades fisiológicas. Ticiane tentou gravar com uma das funcionárias do local, mas a mãe da jovem interviu e não permitiu que as imagens de sua filha fossem captadas.

Leia também: Sempre os mesmos papeis: 10 atores que precisam de redirecionamento na carreira

A entrevista acabou com as duas trocando agressões e até mesmo rolando no chão. Apesar de a briga ter sido apartada, os equipamentos da TV Aratu foram danificados, e a repórter saiu com marcas das agressões, que envolveram tapas, socos e até mesmo uma mordida no braço. Todos os envolvidos foram encaminhados para uma delegacia a fim de prestar esclarecimentos sobre o ocorrido.

Veja o vídeo da agressão


Porém, não havia delegado no local e todos foram dispensados. O Sindicato dos Jornalistas da Bahia (Sinjorba) encaminhou uma nota de repúdio ao jornal Tribuna da Bahia . Confira a nota na íntegra:

Nota do Sinjorba

“O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia protesta e repudia agressão sofrida por equipe da TV Aratu, formada pela jornalista Ticiane Bicelli e pelo cinegrafista Liberato Santana, quando produziam matéria jornalística sobre cobrança do uso de banheiros no Mercado do Peixe, na Cidade Baixa.

Os profissionais foram agredidos física e verbalmente por uma mulher de identidade não informada e que, supostamente, é responsável pela cobrança.

O equipamento utilizado pelo cinegrafista foi quebrado e os profissionais registraram queixa em delegacia. Essa agressão a integrantes da imprensa é um grave sintoma da violência que permeia a sociedade por atingir pessoas que são responsáveis por dar voz aos problemas desta mesma sociedade.

O Sinjorba solicita o imprescindível apoio da Secretaria de Segurança Pública da Bahia para que a acusada seja identificada e julgada na forma da Lei.

Salvador, 16/06/2017 | Marjorie da Silva Moura – Presidente do Sinjorba”

Leia também: As cinco frases mais polêmicas do jornalista Alexandre Garcia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.