Uma reportagem exibida no “ Cidade Alerta ” na última terça-feira (9) acabou em confusão e virou assunto nas redes sociais. Isso porque, o jornal comandado por Luiz Bacci fazia a cobertura da morte de um homem chamado Josivaldo afirmando que ele era um agiota. A família ficou revoltada com a acusação e a filha órfã fez um desabafo e criticou ao vivo o jornalismo da Record TV .

Leia também: Ex-ator de "Carrossel" fala de pai violento no "Cidade Alerta"

Luiz Bacci
Reprodução/Twitter
Luiz Bacci é "cancelado" nas redes sociais por matéria do "Cidade Alerta"


A repórter Luiza Zanchetta começou dizendo que vizinhos, supostamente, próximos a Josivaldo afirmaram que ele era um agiota, emprestando dinheiro e cobrando com juros. Nesse momento, um homem chegou, empurrou a câmera da Record e declarou que a jornalista estava “dizendo merda”. Ela retrucou falando que não estava ofendendo ninguém.

Leia também: "Cidade Alerta" investiga polêmica de "Bel para Meninas"

Em meio à confusão, a filha do homem morto, Amanda, resolveu dar uma entrevista. “Eu perdi meu pai hoje e não estou vendo um pingo de respeito aqui, vocês falando que ele é agiota. Como assim? De onde é essa informação? Acho que vocês têm que ter um pingo de consideração”, declarou a jovem chorando. Luiz Bacci interviu dizendo que, sendo agiota ou não, o importante era saber quem matou Josivaldo.


Luiza Zanchetta explicou que a polícia não confirmava a informação de que o pai de Amanda era agiota e, novamente, disse que vizinhos tinham confirmado a informação. A filha de Josivaldo garantiu que só tinha contato com um vizinho da rua: “Vocês não podem afirmar! De repente vocês vêm com suposições, eu achei que a Record tinha um jornalismo mais responsável”.

Leia também: Mãe descobre morte da filha ao vivo no "Cidade Alerta" e choca público

Luiz Bacci tentou contornar a situação, mas a confusão continuou. Amanda começou a chorar descontroladamente e precisou ser retirada do ar. A família chegou a exigir um pedido de desculpas em rede nacional. “Peço desculpas pela abordagem como agiota, de não tratar como suspeito, como deve ser realmente até que a polícia, a Justiça conclua se é agiota ou não”, declarou o âncora do “Cidade Alerta”. O caso repercutiu nas redes sociais.







    Veja Também

      Mostrar mais