Tamanho do texto

Autor da ação teria tentado falar sobre erro com organização do programa, mas não teve sucesso

Bandeira do reality Amazônia arrow-options
Divulgação
Bandeira do reality Amazônia


A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve por unanimidade a decisão que condenou as empresas organizadoras do programa Amazônia, reality exibido na TV Record em 2012, a pagarem R$ 125 mil a ex-participante que foi eliminado por contagem errada de votos na semifinal da competição.

"O tribunal de origem demonstrou que ficaram configurados os requisitos para reparação por perda de uma chance, tendo em vista a comprovação de erro na contagem de pontos na rodada semifinal da competição, o que tornou a eliminação do autor indevida, e a violação das regras da competição que asseguravam a oportunidade de disputar rodada de desempate", explicou o relator do recurso no STJ, ministro Villas Bôas Cueva.

O STJ determinou ainda que o ex-participante receberá também mais R$ 25 mil por danos morais.

O autor da ação afirmou que as tentativas de contato com os organizadores do programa para esclarecer os motivos de sua eliminação e da inexistência de prova de desempate foram frustradas.