Tamanho do texto

Jornalista se preparava para uma gravação quando foi surpreendida por um torcedor que tenta beijá-la. Ela briga com o homem e critica sua atitude

A jornalista da Globo Julia Guimarães foi mais uma vítima de assédio durante a Copa do Mundo . Ela se preparava para entrar ao vivo antes do jogo entre Japão e Senegal neste domingo (24) quando foi surpreendida por um torcedor que tentou beijá-la.

Depois de se afastar, a jornalista o reprime duramente. No vídeo, é possível ver Julia falando “não faça isso” em inglês, antes do áudio ser abafado. Ainda assim, é visível o desconforto da jornalista da Globo , que ainda pede respeito ao homem que a assediou.

Leia também: Bruna Linzmeyer critica vídeo de brasileiros na Copa: "É machismo"

Julia comentou sobre o ocorrido em seu Twitter e disse que, apesar de nunca ter passado por isso no Brasil, já aconteceu duas vezes desde que chegou a Rússia para o evento.

Diversos jornalistas mostraram apoio a Julia e condenaram a atitude do torcedor. André Rizek, jornalista esportivo, defendeu a reação da jornalista: “(...) elas resistem, ainda bem. Cabe a todos nós, homens de verdade, de caráter, comprar esse barulho”, comentou. O também jornalista Mauro Cezar se pronunciou: “o que se passa na cabeça de um babaca desses? A repórter Júlia Guimarães reagiu como se deve, foi veemente”, defendeu.

Leia também: As novelas que estavam no ar durante a Copa desde o penta da seleção brasileira

Assédio na Copa

Julia Guimarães brigou com torcedor que tentou beijá-la e foi apoiada pelos colegas que repudiaram atitude do homem
Reprodução/Instagram
Julia Guimarães brigou com torcedor que tentou beijá-la e foi apoiada pelos colegas que repudiaram atitude do homem

O assédio a jornalistas mulheres no mundo esportivo, infelizmente, não é novidade. Nessa Copa do Mundo, porém, os casos tem ganhado mais visibilidade. A jornalista russa Barbara Geneza, correspondente do Portal iG, teve uma experiência similar quando um grupo de brasileiros atrapalhou sua reportagem e um deles tentou beijá-la.

No entanto, o caso de maior repercussão até agora foi protagonizado por um grupo de brasileiros que coagiu uma mulher russa a dizer palavras pejorativas e de cunho sexual sem que ela soubesse do que se tratava. O caso ganhou a mídia que e eles foram duramente reprimidos, inclusive por pessoas do meio artístico.

Na Globo , Bruna Limeyer, Monica Iozzi e Fábio Assunção foram alguns dos que chamara a cena de “machista”. Assunção, inclusive, chegou a discutir com um seguidor por conta disso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.