Tamanho do texto

Autor de sucessos como “Verdades Secretas” e “Chocolate com Pimenta” não se adaptou ao horário nobre e vive pior fase com “O Outro Lado do Paraíso”

Walcyr Carrasco tem um longo currículo de sucessos na TV. Conhecido por escrever novelas das 18h, ele começou em 1989 com “Cortina de Vidro”. De lá para cá, o autor emendou sucessos como “Chica da Silva”, “Fascinação”, “O Cravo e a Rosa”, “A padroeira”, “Esperança”, “ Chocolate com Pimenta ” e “Alma Gêmea”.

Walcyr Carrasco tem uma carreira de sucesso na Globo, Porém, autor fracassou em
Divulgação/TV Globo
Walcyr Carrasco tem uma carreira de sucesso na Globo, Porém, autor fracassou em "O Outro Lado do Paraíso"

Progressivamente, Walcyr Carrasco passou para o horário das 19h com “Sete Pecados”. Em novo horário e com novo público, foi difícil alcançar o tremendo sucesso de suas produções anteriores. Suas duas novelas seguintes, “Caras & Bocas” e “Morde & Assopra” não tiveram boa recepção e acabaram em baixa.

Leia também: Sucesso com gosto de fracasso! O que não funcionou em “O Outro Lado do Paraíso”

Ainda assim, a emissora apostou no autor e deixou em suas mãos o remake de “Gabriela”, sucesso de Jorge Amado que já tinha virado novela com Sônia Braga em 1975. De novo em alta devido a força do remake, Carrasco ganhou sua primeira chance no horário mais cobiçado da emissora. Em 2013 estreou “Amor à Vida”, que mais uma vez colocou seu talento à prova.

A trama apostou no casal Paolla Oliveira e Malvino Salvador, mas foi o vilão Félix de Mateus Solano que garantiu o sucesso do folhetim. A obra ainda teve o primeiro beijo gay da televisão, fato que o coloca na história da teledramaturgia brasileira.

A seguir, Walcyr voltou ao horário das 23h em 2015, na primeira produção original da faixa, “Verdades Secretas”. Antes reservada para remakes, a emissora apostou no autor para uma história nova que deu certo. O folhetim, que retratava prostituição por trás do mundo da moda, trouxe uma bem-vinda mudança no estilo, com uma trama nova que teve ótima recepção.

Leia também: Vergonha alheia! As piores histórias de “O Outro Lado do Paraíso”

Sem parar, Carrasco emendou mais uma produção, de volta as suas raízes. No horário das 18h ele escreveu “Êta Mundo Bom”, que foi novamente um sucesso, baseada na história de “Candinho”, filme de Mazzaropi.

O fracasso de “O Outro lado do Paraíso”

Autor com a equipe artística e os atores no lançamento de
Divulgação/TV Globo
Autor com a equipe artística e os atores no lançamento de "O Outro lado do Paraíso"

Entre novelas mais e menos lembradas, é fato que a carreira de Walcyr Carrasco é um sucesso. Talvez por isso a expectativa para “ O Outro lado do Paraíso ” era alta. Mas o que se viu não foi isso. Massacrada pela crítica, e com razão, a novela pode ser definida em uma palavra: desserviço. Errou ao retratar a violência doméstica, o racismo e até homossexuais, o que é surpreendente depois do sucesso que teve com Félix.

Leia também: Cinco vezes que "O Outro Lado do Paraíso" foi criticada por sua trama

Os atores não conseguiram segurar o texto mal escrito e a novela, mais do que uma derrapada, é o ponto mais baixo de sua brilhante carreira. Talvez essa seja a hora de Walcyr Carrasco repensar seu trabalho, ou até usar o passado como inspiração para projetos futuros. “O Outro Lado do Paraíso”, na lista de ótimas novelas do autor, com certeza não ficará na memória.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.