Tamanho do texto

Sem cair no clichê, Glória Perez emplaca bordão e personagens cômicos que se encaixam na trama e não são forçados em "A Força do Querer"

Núcleos cômicos viraram tradições em novelas, principalmente nas das 21h, que possuem conteúdo mais denso. É uma maneira de aliviar os dramas mais pesados e equilibrar a trama. Mas, por ter virado um tipo de “obrigação”, muitas vezes o núcleo é forçado ou fica meio perdido em meio ao resto da história. Esse não é o caso de “A Força do Querer”.

Leia também: “Novela nunca esteve em decadência”, afirma Glória Perez

Edinalva (Zezé Polessa) e Cândida (Gisele Fróes) aproveitam a Estudantina para esquecer dos problemas
Divulgação/TV Globo
Edinalva (Zezé Polessa) e Cândida (Gisele Fróes) aproveitam a Estudantina para esquecer dos problemas

Os bordões estão lá, como “ égua ”, falado a exaustão pelos personagens de Parazinho, mas o arco mais divertido não cai em clichês . Os elementos básicos também estão presentes: um bairro fictício, um bar/restaurante onde todos se encontram, personagens que pegam no pé um do outro. Porém, em “ A Força do Querer ” isso é feito de maneira orgânica e esses personagens tem função real na trama. Edinalva ( Zezé Polessa ), por exemplo, é uma personagem divertida, com seu jeito atiçado e sua expressão expansiva. Mas faz mais do que encontrar as amigas para dançar na Estudantina. Mãe de Ritinha (Isis Valverde), ela também está envolvida nos problemas da filha e tem momentos sérios, principalmente quando tenta desfazer as confusões causadas pela menina.

Leia também: Humberto Martins, Juliana Paes e atores que não saem das novelas de Glória Perez

Abel e Edinalva vivem se ofendendo
Divulgação/TV Globo
Abel e Edinalva vivem se ofendendo

Cândida ( Gisele Fróes ) também diverte com seu jeito despojado e alegre. Ela é amiga de Aurora (Elizangela) que, em meio a tanto drama que vive com a filha Bibi (Juliana Paes), encontra na amiga e nos momentos de descontração uma pausa para seus problemas. As três, por sinal, são as mães das protagonistas e é interessante perceber como a interação entre elas não é a mesma das filhas, ou seja, elas tem vontade e vida própria, com histórias paralelas a de suas herdeiras.

Quem completa o grupo é Abel ( Tonico Pereira ) que rendeu bons momentos de risada, principalmente em seu eterno embate com Edinalva. Os dois, que tem até torcida para terminarem juntos, vivem se estranhando e trocando ofensas, principalmente para defender seus filhos.

Além de Portugal Pequeno

O bairro fictício de Portugal Pequeno é o que concentra boa parte do núcleo cômico, mas isso não significa que outros arcos não tenham seus momentos de diversão. Silvana (Lilia Cabral) está cada vez mais enrolada com as dívidas que fez com o jogo. E sua fiel escudeira Dita (Karla Karenina) ajuda a patroa o máximo que pode. Mesmo não sendo a favor das enrascadas que Silvana se mete, Dita faz de tudo para ajuda-la e acaba criando momentos engraçados, principalmente com Eurico (Humberto Martins).

Outros acertos

As filhas também aproveitam o momento de diversão das mães, mas o foco cômico não fica nas protagonistas
Divulgação/TV Globo
As filhas também aproveitam o momento de diversão das mães, mas o foco cômico não fica nas protagonistas

Essa não é a primeira novela em que Glória Perez acerta no núcleo de humor. Antes de “ A Força do Querer ”, outro arco memorável foi o de “ O Clone ”, chefiado por Dona Jura (Solange Couto) e seu “né brinquedo não”. Mara Manzan também caiu no gosto popular com suas visitas ao Piscinão de Ramos e o bordão “cada mergulho é um flash”.

Leia também: Relembre as maiores polêmicas de Glória Perez em novelas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas