Tamanho do texto

Sônia de Fátima Moura esteve no programa da Luciana Gimenez e falou sobre tentativa de impedir que goleiro Bruno fosse liberado

O goleiro Bruno, acusado de assassinar Eliza Samudio em 2010, teve sua prisão suspensa por meio de um habeas corpus em fevereiro deste ano. Desde que saiu da prisão, após cumprir seis anos da sentença inicial de 22, Bruno recebeu diversas propostas para voltar ao futebol, causando revolta e indignação.

Leia também: Nego do Borel e Naldo Benny se estranham em festa de promoter carioca

Mãe de Eliza Samudio disse a Luciana Gimenez que tentou impedir saíde de goleiro Bruno da prisão
Divulgação/Rede TV!
Mãe de Eliza Samudio disse a Luciana Gimenez que tentou impedir saíde de goleiro Bruno da prisão

 Um das pessoas mais afetadas pelo ocorrido foi Sônia de Fátima Moura, mãe de Eliza Samudio. Ela esteve no “SuperPop”, da Luciana Gimenez, na segunda-feira (13) onde mostrou sua preocupação com o destino do neto, Bruninho, fruto do relacionamento de Bruno com Eliza. Apesar de ser a responsável legal pela criança, Sônia cogita adotar o menino para evitar qualquer aproximação com o goleiro. "Vou lutar com unhas e dentes. Ele tirou minha filha, não vou deixar que faça o mesmo com meu neto", comentou no programa.

Sônia também contou que tentou evitar que ele fosse solto. A avó disse que entrou com recurso contra a soltura de Bruno, mas foi negado. Além disso, ela lembrou também de um dos únicos momentos em que encontrou com ele, durante uma das audiências, ele a olhou e a chamou de “cara de pau. “Ele está vivendo a vida dele enquanto minha filha está morta", concluiu.

Em entrevista a Luciana Gimenez, Sônia de Fátima Moura contou que pretende adotar o neto, para evitar qualquer aproximação do goleiro
Divulgação/Rede TV!
Em entrevista a Luciana Gimenez, Sônia de Fátima Moura contou que pretende adotar o neto, para evitar qualquer aproximação do goleiro

Luciana ainda a questionou em relação ao nome da criança, e Sônia revelou que nunca pensou em trocá-lo. "Esse foi o nome que ela [Eliza] deu para ele e é o que vou conservar. Se um dia ele quiser alterar, será por ele". 

Maria do Carmo dos Santos, presidente da ONG Vítimas Unidas que também participou do programa, afirmou que Bruno é egocêntrico e reclamou de internautas que classificam Eliza como culpada por ter sido assassinada pelo goleiro. "Vivemos em uma sociedade completamente machista e o que me choca não são os comentários dos homens, e sim das mulheres que defendem ele [Bruno]", comentou.

Carreira profissional

Após receber convites de nove clubes para retornar ao futebol, Bruno fechou com o time mineiro Boa Esporte. Ele foi apresentado nesta manhã (14)  e evitou responder perguntas sobre Eliza.

Ele também desviou o assunto sobre os patrocinadores, que desistiram do time após saberem de sua contratação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.