Tamanho do texto

Após ter transformado a história do livro "Dois Irmãos" em sucesso, Luiz Fernando Carvalho também se sairia bem levando esses clássicos para a TV

Luiz Fernando Carvalho adaptou com sucesso o livro "Dois Irmãos", de Milton Hatoum, para a TV. Em formato de minissérie, a história dos gêmeos Omar e Yaqub chamou a atenção do público, arrancou belas interpretações de seus atores e aumentou as vendas da obra em mais de 500% .  

Leia mais:  "Dois Irmãos": minissérie aumenta vendas do livro 

Luiz Fernando Carvalho é ótimo para adaptar clássicos
Divulgação/Globo
Luiz Fernando Carvalho é ótimo para adaptar clássicos


Esta não é a primeira vez que Luiz Fernando Carvalho transporta uma obra literária para as telas:  as minisséries "Os Maias" (2001), baseado na obra de Eça de Queirós ,  "A Pedra do Reino" (2007), inspirada no romance "A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta", de Ariano Suassuna, "Capitu" (2008) de Machado de Assis, o especial "Alexandre e Outros Heróis", adaptado de dois contos de Graciliano Ramos, além de ter levado aos cinemas em 2001 "Lavoura Arcaica", de Raduan Nassar. 

Leia mais:  Luiz Fernando Carvalho extrai o melhor dos atores em "Dois Irmãos"

Listamos cinco clássicos da literatura que Luiz Fernando Carvalho poderia transformar em minissérie na TV:

Cem anos de Solidão

'Cem anos de solidão', de Gabriel Garcia Márquez
Reprodução
'Cem anos de solidão', de Gabriel Garcia Márquez

A obra do escritor colombiano Gabriel Garcia Márquez caberia bem na televisão, contando a trajetória de sete gerações da família de José Arcadio Buendía e Úrsula Iguarán na fictícia Macondo. 

A atmosfera em torno da casa que eles moravam e os misteriosos pergaminhos de Melquíades, o Cigano, que foi amigo de  Buendía, a serem decifrados garantiriam história e várias passagens de tempo ao longo da narrativa.

Leia mais:  Cinco livros de Pablo Neruda para ler depois de assistir "Neruda"

Grande Sertão: Veredas

Sebastião Vasconcelos e Tarcísio Meira na minissérie 'Grande Sertão: Veredas'
Divulgação/Memória Globo
Sebastião Vasconcelos e Tarcísio Meira na minissérie 'Grande Sertão: Veredas'

A obra escrita por João Guimarães Rosa em 1956 já ganhou uma adaptação para o cinema em 1965 e outra para a TV em 1985, com Tarcísio Meira, Tony Ramos e Bruna Lombardi no elenco principal. Walter Avancini , outro diretor que se destacava em seu tempo, foi quem coordenou os trabalhos. 

Já é possível pensar em quem interpretaria Riobaldo, que narra por meio de suas andanças as lutas dos bandos de jagunços, cercadas de amores, vinganças, e mortes?

Vidas Secas

'Vidas Secas'
Reprodução
'Vidas Secas'

Graciliano Ramos narrou com detalhes o drama de uma família de retirantes que, em 1941, atravessa o sertão buscando meios para sobreviver. Eles conseguem trabalho mas, ao final de um ano, percebem que continuam na miséria e prestes a encarar uma nova seca sobre o sertão. A história virou filme em 1963, tornando-se um dos marcos do Cinema Novo. Íntimo da região desde a novela "Renascer" (1993), Luiz Fernando Carvalho não teria dificuldade em transpor a história para a TV.

Os Sertões

'Os Sertões', de Euclides da Cunha
Reprodução
'Os Sertões', de Euclides da Cunha

O livro de Euclides da Cunha publicado em 1902 daria várias nuances ao diretor por misturar literatura, história e relatos jornalísticos sobre os conflitos e angústias da Guerra de Canudos, como ficou conhecido o confronto entre o Exército e os nordestinos liderados por Antônio Conselheiro entre 1896 e 1897 . A máxima 'o sertanejo é, antes de tudo, um forte' ganharia o toque só dele, além de resgatar o panorama da realidade de quem vivia no sertão no início do século XX.

Crônica da Casa Assassinada

'Crônica da Casa Assassinada' se passa em MG
Reprodução
'Crônica da Casa Assassinada' se passa em MG

O livro do escritor Lúcio Cardoso se passa na chácara de uma família mineira aristocrata arruinada financeiramente. Luiz Fernando Carvalho poderia soltar a criatividade, pois os personagens - Nina,Valdo e Timóteo são os principais - vivem lidando com adultério, incesto, loucura e decadência. As descobertas são feitas por meio de cartas, diários, memórias, confissões e depoimentos, deixando em questão o que seria verdade ou mentira na fala e atitudes de cada um.