Tamanho do texto

Série dirigida por Carolina Jabor explora fantasias sexuais femininas, com episódios protagonizados por Clarice Falcão, Claudia Ohana e mais

Um casal vai a uma festa juntos. Durante a noite, ele conversa com algumas amigas, enquanto ela fica de papo com um homem. Ao chegar em casa, eles comentam sobre a noite e começam a dar detalhes sobre o que aconteceu durante a noite enquanto o outro não estava por perto. Enquanto relatam encontros sexuais com os desconhecidos, eles reencenam esses momentos em casa, juntos. Esse é o primeiro episódio de “Desnude”, nova minissérie do GNT em 10 capítulos.

Leia também: Carolina Jabor relata as dificuldades de ser mulher no cinema

Gabriela Carneiro da Cunha estrela o primeiro episódio de
Divulgação
Gabriela Carneiro da Cunha estrela o primeiro episódio de "Desnude", série sobre os desejos sexuais femininos

O projeto nasceu dentro de outro projeto: o Hysteria, plataforma de conteúdo criada dentro da Conspiração Filmes, criada e produzida por mulheres. A diretora Carolina Jabor faz parte desse projeto, e é a diretora artística pro trás de “ Desnude ”. Em entrevista ao iG , ela explica que no Hysteria elas já pensavam em um projeto que falasse sobre sexualidade feminina, e acharam um parceiro para realizar essa empreitada no GNT. “A partir daí começamos a pensar como trataríamos a sexualidade do feminino – que é muito amplo. Resolvemos focar na fantasia, por que da uma liberdade de contar uma história que não é linear, tem uma linguagem cinematográfica mais livre”, comenta Jabor.

Leia também: Estudo mostra queda no número de mulheres protagonistas no cinema em 2017

Dicas

Para ampliar as possibilidades de histórias, Carolina Jabor e a também diretora Anne Pinheiro Guimarães foram atrás de histórias do público. Elas receberam cerca de 100 relatos de fantasias, desejos e curiosidades. “A partir daí a gente conseguiu tirar temperatura do que é ser mulher, desejar, o que é prazer. Então partimos para criar histórias originais”, conta Carolina.

Cena da série
Divulgação
Cena da série "Desnude"

Entre as histórias existe sexo a três, mensagens quentes com um colega de trabalho, masturbação e mais, o que significa muitas cenas picantes. Carolina conta que, em sua carreira, não havia dirigido muitas cenas de sexo, e que foi necessária muita entrega por parte de todos para gravar essas cenas. “É uma criação coletiva (a cena de sexo ). É uma coreografia, sobre precisa saber reger”, explica. Carolina conta que foi necessário conversar muito com os atores antes, mas que ajudou o fato de que a equipe de produção era formada por muitas mulheres, desde as diretoras, até a diretora de fotografia. “Todas nós estamos querendo mais igualdade. Quando fala-se de sexo, erotismo e prazer , também queremos falar do nosso tipo de prazer”, comenta.

Jornada em conjunto

Desnude ” fala sobre os prazeres femininos, mas não é uma série feita só para mulheres. Apesar de Carolina explicar que a série não pretende levantar nenhuma bandeira, ela espera que os homens sintam prazer junto com as mulheres e que “eles possam olhar a série como parte de um gosto feminino”. A série estreou na última segunda-feira (05) e vai ao ar diariamente as 23:30 no GNT. Ao todo, serão nove episódios de ficção, além de um décimo com bastidores da produção. No elenco estão nomes como Clarice Falcão , Laura Neiva, Claudia Ohana , Du Moscovis, Pathy de Jesus, Rafaela Mandelli e Isabel Fillardis. 

Leia também: Agora é a hora! Confira 10 diretoras de cinema que merecem atenção

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.