4 dicas para arrumar a mala de forma sustentável
Redação EdiCase
4 dicas para arrumar a mala de forma sustentável

Veja como fazer escolhas conscientes pode ajudar a reduzir o impacto ambiental

*Por Fernanda Bichara

Agora que as férias com a família e os passeios aos fins de semana voltaram, muitas pessoas passaram a considerar o impacto das suas viagens nos lugares que visitam. Uma pesquisa recente encomendada pela Booking.com revelou que viajar de maneira mais sustentável é importante para 96% dos brasileiros. Além disso, mais da metade deles (61%) afirmam que as notícias recentes sobre as mudanças climáticas os levaram a fazer escolhas de viagem mais ecologicamente corretas.

Viajar de maneira mais consciente não se resume aos destinos visitados ou aos meios de transporte que as pessoas usam para chegar lá. A sustentabilidade começa mesmo antes de sair de casa, quando os viajantes fazem as malas de forma mais cuidadosa. Ao pensar no que vai na bolsa e, deixando-a mais leve, as pessoas podem minimizar o impacto de suas viagens. Afinal, menos peso significa que os aviões queimam menos combustível, o que é um passo positivo para reduzir as emissões de carbono associadas às viagens.

Mesmo viajantes que se deslocam de trem, carro, bicicleta, barco ou a pé podem optar por levar apenas o essencial na mala, o que os ajudará a minimizar seu impacto. Pensando nisso, a Booking.com reuniu algumas dicas úteis de como fazer uma mala sustentável, apenas com o essencial. Confira!

> Alentejo: 4 lugares históricos para visitar

1. Leve produtos de higiene pessoal sustentáveis 

Nos últimos anos, a sustentabilidade renovou o conteúdo que as pessoas têm em seus banheiros. Cada vez mais opções sustentáveis estão disponíveis. Para diminuir o peso da mala e ser mais sustentável, hoje já existem xampus e condicionadores sólidos, que não usam embalagens plásticas e são muito mais leves que as versões convencionais.

Para quem planeja curtir o mar durante as férias, também é importante considerar as credenciais de sustentabilidade do FPS (fator de proteção solar) – principalmente se o viajante pretende visitar e nadar em regiões com ecossistemas delicados, como recifes de corais. Os produtos químicos contidos no protetor solar podem ser prejudiciais ao oceano e à vida marinha. Por isso, é importante verificar se ele é considerado ‘seguro para corais’ antes de levá-lo na mala.

A mesma consideração vale para o repelente de insetos, já que alguns produtos químicos podem prejudicar o planeta, que pode ser substituído por uma opção natural que use citronela ou hortelã-pimenta para afastar os pernilongos. Essas trocas simples são uma ótima opção para quase três quartos dos viajantes brasileiros (72%), que consideram a preservação da vida selvagem e do habitat natural de seu destino parte essencial das viagens eco-friendly .

> 6 destinos perfeitos para ciclistas

2. Faça trocas conscientes

Limitar o uso de plásticos descartáveis é um dos maiores desafios ambientais enfrentados atualmente. Afinal, estima-se que 91% do plástico hoje não é reciclado e acaba nos oceanos ou em aterros sanitários. Por isso, os viajantes podem fazer algumas trocas simples ao arrumar as malas, considerando quais itens reutilizáveis podem ser úteis em suas viagens.

Muitos brasileiros já estão pensando em trocas sustentáveis na hora das refeições, por exemplo. Entre os entrevistados, 67% planejam ficar mais atentos quanto ao consumo de alimentos durante suas viagens , escolhendo opções veganas ou vegetarianas, ou comendo alimentos orgânicos/de origem local. Mas a sustentabilidade vai além do que está no prato.

Ao comer em um mercado ou feira de rua, o turista pode usar talheres de bambu para evitar os descartáveis, que provavelmente serão oferecidos. Outra dica é levar na mala um canudinho de metal para usá-lo no bar. Já em relação a compras, vale levar uma sacola de tecido para carregar os achados. Se planejar para fazer trocas inteligentes durante a viagem vai naturalmente resultar em uma mala mais sustentável.

3. Evite as garrafas descartáveis 

Essas trocas são válidas até mesmo para se manter hidratado. Em vez de comprar garrafinhas descartáveis de água durante a viagem, o viajante pode considerar levar uma de aço inoxidável na mala. Ela poderá ser usada por anos e reabastecida com água potável sempre que possível.

Para quem pretende ir a um destino em que a água nem sempre é segura para beber, ou para quem depende de fontes naturais – como em acampamentos e trilhas -, também há opções sustentáveis, como pastilhas purificadoras ou um purificador com luz ultravioleta – um bastão pequeno e leve que emite luz UV e destrói bactérias, vírus e protozoários na água.

> Curaçao: conheça a ilha caribenha de sotaque holandês

4. Leve somente o necessário 

Para algumas pessoas, ter um look diferente para cada dia de férias é mais importante do que a roupa que usam quando estão em casa. Mas isso não quer dizer que o look do dia não possa ser sustentável. Evitar marcas fast-fashion já é uma dica conhecida na hora das compras, mas viajantes sustentáveis também podem fazer sua parte quando arrumam as malas, como evitar levar uma grande quantidade de peças, selecionando aquelas mais versáteis, que podem ser usadas mais de uma vez. Ou, então, levar roupas com tons que se harmonizam.

Dessa forma, é possível fazer várias combinações diferentes. Mesmo em uma viagem mais longa , a mala não precisa pesar. Uma dica é considerar lavar as roupas no destino, já que muitas acomodações oferecem serviço de lavanderia ou ficam perto de uma. Aliás, hoje já existem diversos produtos que permitem lavar a roupa de maneira mais sustentável, como opções com refis ou detergentes ecológicos em tiras. Essas opções são bem leves de levar na mala, além de reduzir as embalagens de plástico.

Pesquisa encomendada pela Booking.com e realizada de maneira independente com 30.314 entrevistados em 32 países e territórios. Para participar dessa pesquisa, as pessoas deveriam ter mais de 18 anos, terem viajado pelo menos uma vez nos últimos 12 meses e estarem planejando uma viagem em 2022. Além disso, deveriam ser responsáveis pela decisão ou estarem envolvidas no processo de tomada de decisão da viagem. A pesquisa foi feita on-line e ocorreu em fevereiro de 2022.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários