Tamanho do texto

Seguindo o destino dos reis loucos, Daenerys tem desfecho trágico em “Game of Thrones”, concluindo as Crônicas de Gelo e Fogo

Daenerys Targaryen (Emilia Clarke) conseguiu finalmente atingir seu objetivo e conquistar o trono do final de “Game of Thrones”. Mas, antes mesmo que ela pudesse sentar nele, ela é morta depois de um discurso que deixa evidente sua tirania.

daenerys e seu dragao
Reprodução
"Game of Thrones"

Ela decide que Westeros não é suficiente, e tenta convencer Jon Snow (Kit Harrington) que eles sabem o que é melhor para o mundo e juntos vão governar como nunca ninguém o fez. Ilusão, ou uma possibilidade que nunca veremos. Seguindo uma longa teoria de “ Game of Thrones ”, ela se transforma na Rainha Louca, provando que o maior problema de Westeros e seus governantes é o tal trono.

Leia também: Sem quebrar a roda, "Game of Thrones" conclui saga com retorno às origens

Seu pai tentou incendiar Porto Real no passado e foi morto antes disso. Daenerys ocupou seu lugar e cumpriu seu destino, deixando a cidade em cinzas. Mas antes dela, muitos dos conflitos da série foram criados a partir da decisão de Reis Loucos. Robert (Mark Addy) faz uma guerra por conta de uma mulher e sua ascensão ao poder só chega à custa de muitas mortes.

Seu filho Joffrey (Jack Gleeson) é, talvez, o mais louco de todos os que ocuparam o Reino. Sádico, covarde e burro, ele cimenta uma segunda guerra ao executar Ned Stark (Sean Bean). Rainha Regente, Cersei usa o mesmo fogo que um dia Aerys quis usar para destruir a cidade para explodir o Septo.

Junto com muitos civis, ela destrói o líder religioso da cidade, além dos herdeiros Tyrell, perdendo o apoio de uma das maiores casas de Westeros. Tommen (Dean-Charles Chapman) se joga de uma janela, acabando com a linhagem dos Lannister.

Leia também: Depois de café, garrafa d'água aparece em cena de "Game of Thrones"

Daenerys é louca, só não é mais do que os governantes que vieram antes dela. A história da realeza nas Crônicas de Gelo e Fogo é repleta de pessoas que, tomadas pelo poder, perdem a cabeça e são capazes de coisas inimagináveis para combater seus inimigos.  

Portanto, o fim de Daenerys na série não é totalmente imprevisível, já que a loucura parece acometer quem quer que ocupe o posto. Drogon, como forma de punição, ou por entender que ninguém mais o merece, queima o trono e o transforma também em cinzas. O momento é simbólico, mas o que vem a seguir mostra que, talvez, a falta de um posto para cobiçar acabe com as ambições dos líderes seguintes.  

O adeus de Daenerys

jon snow com daenerys morta nos prazos
Divulgação
"Game of Thrones"

Como todo tirano, Daenerys realmente acredita que está fazendo o que é certo e, independente se a cena de sua morte foi boa ou não, ela foi necessária. Antes disso, porém, Emilia pode protagonizar umas das cenas mais bonitas de toda a produção, onde finalmente ela e seu dragão se tornam um só.

A tragédia era esperada e, em retrospecto, Jon era o único que poderia mata-la. Ele entendeu o que ela poderia se tornar, mas a decisão o assombra, e ele nunca tem realmente certeza se o sacrifício foi em vão.

Leia também: Último episódio de "Game of Thrones" não agrada fãs na internet

O final de “ Game of Thrones ” pode ter sido decepcionante em alguns aspectos, mas o encontro e a consequente colisão entre gelo e fogo eram aguardados desde o começo. Foi um fim trágico, porém digno da série que nunca se contentou com finais felizes.

    Leia tudo sobre: game of thrones