Tamanho do texto

Bruna Drews, de 35 anos, acusa o apresentador do "Brasil Urgente" de assédio sexual. Segundo a repórter, Datena teria dito que ela não precisava emagrecer porque já era "muito gostosa"; MP já acionou a Polícia Civil

Bruna Drews acusa Datena de assédio sexual
Reprodução/Instagram
Bruna Drews acusa Datena de assédio sexual

Depois de acusar Datena de assédio sexual, a repórter da TV Bandeirantes Bruna Drews, de 35 anos, usou suas redes sociais para desabafar. Em sua conta do Instagram, a jornalista publicou uma foto da frase "Mexeu Com Uma, Mexeu Com Todas", de uma companha contra o assédio, e fez um pequeno desabafo.

Leia também: O ronco, racismo reverso, e o pouco que o “BBB” mudou até hoje

"Estou do lado da verdade! Consciência limpa e tranquila! Faço isso por todas as mulheres que são obrigadas a passar por isso diariamente", escreveu Bruna, que trabalha na mesma emissora de Datena .

Entenda o caso envolvendo Datena

A repórter Bruna Drews acusa o jornalista e apresentador Datena de assédio sexual
Reprodução/Band
A repórter Bruna Drews acusa o jornalista e apresentador Datena de assédio sexual

Bruna Drews , de 35 anos, está acusando o apresentador José Luiz Datena, de 61, de assédio sexual. Segundo o site "Notícias na TV", ela afirma em representação protocolada no Ministério Público que o apresentador do "Brasil Urgente" teria lhe dito que ela não precisava emagrecer porque já "era muito gostosa", que diversas vezes teria se masturbado pensando nela e que achava "um desperdício" a profissional "namorar uma mulher" .

Leia também: O ano promete! As fotos mais sensuais postadas pelas famosas em 2019

Ainda de acordo com a repórter, o assédio teria acontecido no dia 7 de junho do ano passado, durante a comemoração do fim das gravações do quadro "A Fuga", do extinto "Agora É com Datena", em um bar na região central de São Paulo. Bruna contou que só decidiu processar o apresentador agora porque, após o suposto assédio, teve uma grave crise de depressão e pânico. Em licença médica desde julho, um mês após o ocorrido, Bruna também está movendo ação trabalhista contra a Bandeirantes, à qual acusa de ter sido conivente com Datena.

Em contato com o Ministério Público de São Paulo, a reportagem do iG Gente confirmou a representação feita pela repórter contra o âncora do "Brasil Urgente". O órgão encaminhou a representação para a Polícia Civil abrir uma investigação formal a respeito.

Bruna trabalhou na Record, mas em 2014 foi para a Band a convite de Luiz Cacci. Um ano depois de entrar na emissora, vitou repórter do "Brasil Urgente", mas não conseguiu se adaptar ao jornalismo policial. A pressão do trabalho e as ameaças de morte por parte de bandidos a fizeram se sentir exposta e ela acabou desenvolvendo síndrome do pânico. Em julho de 2016, começou uma série de afastamentos para tratamentos médicos, que se estenderam até hoje.

Leia também: Após polêmica sobre veganismo, Luisa Mell manda recado para Tiago Leifert

No ar, a jornalista mostrava uma boa relação com o apresentador e não parecida se incomodar com os elogios. Bruna cita dois momentos que considerou "absurdos". Um foi quando Datena interrompia algumas reportagens para elogiar sua beleza e a ocasião em que pediu para um cinegrafista mostrasse para os telespectadores todo o seu corpo.