A atriz Allison Mack , conhecida por seu papel na série “Smallville” foi solta da prisão na noite de terça-feira (24), depois de pagar uma fiança estabelecida em US$ 5 milhões. Ela foi presa na última sexta-feira sob acusação de tráfico sexual , conspiração de tráfico sexual e conspiração de trabalho forçado

undefined
Divulgação
Allison Mack foi solta da prisão depois de pagar fiança. Ela havia sido presa sob acusação de tráfico sexual

Depois de fazer sucesso em “ Smallville ”, Mack não emendou muitos papeis e acabou se afastando dos holofotes. Nos últimos meses, rumores de seu envolvimento em um culto cresceram, até que ela foi parar na mira de uma investigação policial.

De acordo com a investigação, Mack faz parte de uma seita que tem como líder Keith Raniere. Como uma das “mestras” do programa, Allison é uma das responsáveis por aliciar jovens atrizes, com a justificativa do programa servir como auto-ajuda. Mas, de acordo com relatos de mulheres que participaram da seita, elas eram presas e serviam como escravas sexuais.

Leia também: Allison Mack, a Chloe de “SmallVille”, é presa por tráfico sexual

Recrutamento em  Hollywood

Depois das acusações, uma investigação mais profunda nas redes sociais de Mack mostrou que ela tentou recrutar a atriz Emma Watson para a seita em 2016. Em uma série de tuítes, ela diz que está envolvida em um “incrível movimento de mulheres” que acreditava que Watson ia gostar. A interprete de Hermione nunca chegou a responder as mensagens publicamente.

Leia também: Ostracismo, prisão e drogas: 15 astros teen que estão na pior

Parceiras além de “Smallville”

undefined
Divulgação IMDB
Allison Mack e Kristin Kreuk atuando juntas em "Smallville". Kristin também foi acusada de envolvimento com a seita

Mack não é a única atriz de “ Smallville ” a ser acusada de envolvimento com o tráfico de mulheres . Sua companheira da série, Kristin Kreuk, a Lana Lane, também chegou a ter seu nome envolvido com as ações de Mack. Em um comunicado no final de março, a atriz afirmou ter participado do programa, chamado “The Source”, que existe sob a justificativa de ser uma iniciativa de auto-ajuda e supostamente empoderamento feminino, mas negou qualquer envolvimento com o tráfico de mulheres.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários