Tamanho do texto

Atriz finalmente contou sua história envolvendo o produtor em uma longa entrevista com o jornal americano New York Times

Quando os relatos de assédio contra Harvey Weinstein começaram a pipocar, muitas pessoas que já haviam trabalhado com ele foram perguntadas a respeito de seu comportamento. Uma dessas pessoas foi Uma Thurman, que fez “Pul Fiction” e “Kill Bill” um e dois com o produtor. Em novembro, quando questionada a respeito, ela disse que esperaria estar “menos furiosa” para dar sua opinião. “Quando eu estou com raiva, eu geralmente me arrependo da maneira como me expresso”, explicou.

Leia também: Hollywood em chamas: as atrizes que revelaram a violência nos bastidores

Uma Thurman confessou ter sido assediada por Harvey Weinstein, com quem trabalhou em três filmes de Quentin Tarantino
Divulgação
Uma Thurman confessou ter sido assediada por Harvey Weinstein, com quem trabalhou em três filmes de Quentin Tarantino

Agora, quase três meses depois, Uma Thurman está pronta para falar. Em uma longa entrevista para o New York Times publicada nesse sábado (03), ela declarou: “eu usei a palavra raiva, mas eu estava mais preocupada em não chorar, para dizer a verdade”. Agora, ela conta sobre os abusos que sofreu, tanto diretamente do produtor, quanto no set de “Kill Bill”.

Leia também: Hollywood também é culpada pelos assédios cometidos por Harvey Weinstein

Ela reconta um encontro com Harvey Weinstein em um hotel em paris, depois de “ Pulp Fiction ” (1994). Usando os mesmos modos que diversas outras mulheres já descreveram, ele a convidou ao seu quarto de hotel e começou a falar sobre trabalho, até que decidiu tirar a roupa e ficar nu na sua frente. Thurman contou que não se sentiu ameaçada, apenas achou a atitude estranha. Da segunda vez, porém, as coisas não foram assim. Em outro encontro pouco tempo depois, ela a atacou, pressionou e tentou agarrá-la a força. Ela relembra que chegou a dizer para ele que “se ele se comportasse assim com outras pessoas, ia perder sua carreira, sua reputação e sua família”.

Uma Thurman sofreu um acidente durante as filmagens de
Reprodução
Uma Thurman sofreu um acidente durante as filmagens de "Kill Bill"

Os dois voltaram a se encontrar em 2001, antes de começar a gravar “Kill Bill”. Ela contou o acontecido a Quentin Tarantino , diretor do filme e que teve boa parte de sua filmografia produzida pela Miramax de Weinstein, e eles confrontaram o magnata do cinema. Ele então se desculpou pelo ocorrido anos antes.

Kill Bill

Uma Thurman também relatou dificuldades com o próprio Tarantino e a produção do filme durante a gravação de “ Kill Bill ”. A atriz revelou que, durante uma cena em que dirige um carro, ela inicialmente se recusou a fazer. Pressionada por Tarantino, ela acabou filmando a tal cena e sofreu um acidente. Quinze anos depois das gravações, ela confessa que fez sua própria investigação até conseguir as imagens que mostram sua dificuldade ao dirigir o veículo e a batida final. “Eu senti uma dor cortante e pensei ‘Meu Deus, nunca mais vou andar’”, confessou. Depois disso, Thurman tentou conseguir as imagens e teve séries discussões com Tarantino a respeito disso.

Leia também: Depois de acusações de assédio, Harvey Weinstein é expulso da Academia do Oscar

Por fim, Uma Thurman também confessou que foi estuprada quando tinha 16 anos. Depois de conhecer um jovem ator de 20 anos ela foi a seu apartamento, mas não quis ter relações sexuais com ele, que então forçou o ato.  

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.