Roberto Carlos (à esquerda) e o sul-coreano Lim Young-woong
Divulgação
Roberto Carlos (à esquerda) e o sul-coreano Lim Young-woong

O cantor Roberto Carlos figura entre os assuntos mais comentados da internet, neste sábado (2), por um motivo bem curioso, que vem do outro lado do mundo. Evento que mobiliza fãs de K-pop ao redor do mundo, especialmente no Brasil, a premiação The Fact Music Awards, realizada por um portal de notícias sul-coreano, colocou o nome do Rei entre os termos mais digitados no Twitter.

Fãs da cultura coreana que acompanham, no Brasil, a transmissão do evento viram semelhanças entre a apresentação solo do cantor sul-coreano Lim Young-woong e os clássicos shows de Natal promovidos por Roberto Carlos na TV Globo.

Leia Também

"Será que os coreanos, na virada (do ano) , juntam a família inteira no sofá da sala pra ver o especial de um ano do Roberto Carlos coreano?", brincou um usuário do Twitter no microblog. Não demorou para que o apelido se espalhasse e o termo "Roberto Carlos" alcançasse o mundo na rede social. "Estou me sentindo no show da virada. É o Roberto Carlos da Coreia", escreveu outro internauta.

A brincadeira aparentemente banal mostra a força que a música coreana (o chamado "K-pop") — normalmente apresentada por boy bands ou girl bands — ganha no Brasil, um dos maiores consumidores do gênero no mundo.

Uma pesquisa do Ministério da Cultura, Esportes e Turismo, realizada em 18 países pela Fundação Coreana para Intercâmbio Cultural Internacional entre setembro e novembro de 2020, mostrou o Brasil como o terceiro local onde mais cresceu a audiência pelos doramas coreanos, em comparação com o período anterior à pandemia. Em primeiro lugar ficou a Malásia e, em segundo, a Tailândia. Depois do Brasil, aparecem os Emirados Árabes Unidos e Taiwan.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários