A atriz Claudia Raia decidiu contar detalhes dos bastidores de um filme chamado “Matou a família e foi ao cinema”, que estrelou em 1991 com o então marido Alexandre Frota. Dirigido por Neville D'Almeida, o longa fez a artista simular uma cena de sexo com um cavalo e entrar em uma banheira com uma galinha viva.

Claudia Raia
Reprodução
Claudia Raia


“Tinha uma cena minha nua, só com um corpete, que gravamos numa madrugada fria em Teresópolis. Minha personagem tinha quase uma transa com um cavalo, que na verdade era um sonho dela. Em um certo momento, o cavalo deu uma pirada e precisou ser retirado de cena para dar uma espairecida”, contou Claudia Raia em uma live do Canal Brasil. “O resultado é interessante, as pessoas adoram, mas confesso que é difícil de assistir. Foi difícil de fazer também, é muito forte”, afirmou.


Além do cavalo, ela precisou contracenar com outro animal: “Era uma cena em que eu entrava com a Louise e uma galinha viva numa banheira para declamar as poesias eróticas de James Joyce. A gente não sabia muito bem o que fazer ali, a galinha quase virando canja e o diretor tinha sumido. Neville correu do set para fazer um tratamento de canal no dentista. Isso é a cara do que era fazer cinema ali no fim dos anos 80”.

Durante o papo, Claudia Raia deixou claro que não se arrepende desse trabalho e declarou que gostaria de ter feito mais coisas no cinema. “Os diretores deviam achar que eu não tinha tempo ou o meu cachê era alto”, declarou a artista que faz sucesso tanto na TV quando no teatro.

    Veja Também

      Mostrar mais