Conhecida como Mãe Baiana de Oyá , a líder religiosa Adna Santos denunciou na quarta-feira (3) o presidente da Fundação Palmares , Sérgio Camargo, por injúria racial, discriminação racial e discriminação religiosa. Em áudio de reunião do dia 30 de abril — divulgado nesta semana —, Camargo xinga a mãe de santo de "macumbeira", "filha da put*" e "miserável". A queixa foi realizada na Polícia Civil do Distrito Federal.

Leia também: GloboNews é criticada por colocar só comentaristas brancos para debater racismo

Mãe Baiana foi ofendida por Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares
Reprodução
Mãe Baiana foi ofendida por Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares


Coordenadora de Políticas de Promoção e Proteção da Diversidade Religiosa da Secretaria de Justiça do DF, Mãe Baiana disse ao site G1 que ficou "chocada" com agressão. A ocorrência foi registrada na Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência (Decrin). Como a denúncia envolve o presidente de uma entidade federal, a investigação será passada para a Polícia Federal .

Leia também: Relembre crises de Roberto Alvim, secretário da Cultura demitido por Bolsonaro

Também nesta quarta, deputados da oposição protocolaram pedido para que o Ministério Público Federal (MPF) abra inquérito sobre a fala de Camargo durante a reunião, na qual chamou o movimento negro de "escória maldita". Uma representação assinada pela ONG Educafro e mais de 60 outras entidades pede o afastamento do presidente da Fundação Palmares . O texto, que acusa Camargo de racismo, foi encaminhado para a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários