Ídolo de nomes como Bob Dylan e Kris Kristofferson, John Prine morreu nesta terça-feira, aos 73 anos, por complicações causadas pela Covid-19. Ele estava internado num centro médico em Nashville. A família de Prime revelou seu diagnóstico no dia 29 de março. Em mensagem postada nas redes sociais, seus familiares avisaram aos fãs que ele estava no hospital em situação crítica. No dia 2 de abril, sua mulher, Fiona, fez um "update", dizendo que ele seguia "muito doente".

Leia também: Shows prejudicados pelo coronavírus terão 12 meses para acontecer

John Prine arrow-options
Reprodução/Instagram
John Prine


Leia também: Ator de Aliens e Batman, Jay Benedict, morre devido ao novo coronavírus

Vencedor do Grammy duas vezes, o compositor e cantor era conhecido por letras por vezes furiosas, e outras bem-humoradas.

Nascido no Illinois, Prine era conhecido como "o compositor dos compositores". Ele era relativamente pouco conhecido em 1970, quando Kristofferson o viu tocando num pequeno bar em Chicago, e descreveu a performance como "diferente de tudo que ele havia ouvido antes".

Leia também: Grande nome da moda, Sergio Rossi morre de coronavírus aos 85 anos

Conhecido por canções que têm histórias completas e personagens originais, com problemas extremamente humanos, Prine foi gravado por uma penca de artistas, como Johnny Cash ("Sam Stone") e Bette Midler ("Hello in There").

Ele havia superado duas experiências de câncer, uma em 1998, e a segunda em 2013, quando extraiu parte do pulmão.

    Veja Também

      Mostrar mais