Tamanho do texto

No encontro, no qual será ouvida a perícia médica, estarão presentes apenas o juiz e os advogados do cantor e de seus filhos Bebel e João Marcelo

Uma audiência na 5ª Vara de Órfãos e Sucessões no Rio dessa sexta-feira (14) escreve mais um capítulo no processo que define o futuro de João Gilberto — como informou a coluna de Ancelmo Gois no GLOBO desta quinta-feira (13). Estarão presentes apenas o juiz Renato Lima Charnaux Sertã e os advogados das partes — o próprio cantor e seus filhos Bebel Gilberto e João Marcelo Gilberto.

Leia também: Entenda o caso de interdição de João Gilberto pela família

Caso João Gilberto ganha novo capítulo nessa sexta-feira (14)
Divulgação
Caso João Gilberto ganha novo capítulo nessa sexta-feira (14)

Em abril de 2018, João Marcelo acusou Bebel de roubar dinheiro de João Gilberto  . Ela tem a curatela do pai — interditado provisoriamente enquanto não se chega à sentença final do processo sobre a interdição.

“Ele se sente um prisioneiro, a Bebel só dá R$ 1.000 por semana. Ela está roubando todo o dinheiro do meu pai , vivendo que nem uma rainha. Cortou o orçamento dele para pedir comida no restaurante Degrau (no Leblon), o que ele fazia há anos”, disse João Marcelo na ocasião.

Mesmo sendo Bebel a curadora do pai, o advogado de João Marcelo, Gustavo Carvalho Miranda – que estará na audiência com o sócio Raphael Fonseca –, conseguiu junto ao juiz o direito de representar também o cantor  . “Não entendo como se permitiu isso”, diz Simone Kamenetz, advogada que representa Bebel.

“Quando o juiz determinou a curatela mesmo antes da sentença foi porque entendeu que de fato há indícios fortes de que João precisa de uma pessoa para gerir suas decisões. E Bebel é sua curadora”, conclui a advogada de Bebel

Simone conta que João Marcelo não procurou a irmã em momento nenhum para saber do pai ou ter acesso às prestações de contas que ela é obrigada a fazer como curadora. Ele tem alegado que Bebel lhe sonega informações sobre as condições físicas e financeiras de João.

“Na audiência, será ouvido o perito médico nomeado pelo juiz para avaliar João Gilberto”, conta Miranda, advogado que irá representa-lo. “Foi feita uma perícia inicial no final de 2018 e ainda será feita uma nova, que incluirá análise de exames médicos que estão sendo providenciados por sua companheira, Maria do Céu. O que exatamente o perito irá dizer, não sabemos”, conclui.

Leia também: Anitta, Gusttavo Lima e os famosos enrolados com a Justiça no começo de 2018

Processo vem de 2017

Bebel Gilberto e João Gilberto em foto antiga publicada pela filha nas redes sociais
Reprodução/Instagram
Bebel Gilberto e João Gilberto em foto antiga publicada pela filha nas redes sociais

O advogado diz que levará também questionamentos do próprio João sobre seu processo de interdição: “Serão discutidos os rumos da interdição, com foco no seu bem-estar. Estamos representando João a fim de obter para ele, sua companheira, Maria do Céu , e seu filho João Marcelo todos os esclarecimentos necessários”.

Bebel Gilberto pediu em novembro de 2017 a interdição do pai, o que significa que ele não estaria mais autorizado a praticar atos como assinar contratos e movimentar dinheiro, por ser percebido como incapaz de tomar decisões dessa natureza.

Na época, sua advogada explicou a medida num texto, dizendo que João “já vem apresentando, há alguns anos, um quadro de confusão mental, que não lhe permite compreender com clareza e exatidão os atos jurídicos que lhe são solicitados por terceiros, resultando numa situação atual de absoluta penúria financeira”.

“Nossa ideia desde o início era fazer o processo junto com João Marcelo, filho de João Gilberto  , que na época fez exigências, como, por exemplo, não gastar nenhum tostão”, explica Simone. “Depois ele parou de nos responder. Agora reapareceu com um advogado para entrar no processo tardiamente. Mas ainda bem que entrou”, finaliza.