Tamanho do texto

Cantor se consagrou, no Brasil, em 2016 com “Sim ou Não”, parceria com Anitta. Agora, investe em colaborações norte-americanas, como Madonna

Desde que começou no mundo da música, lá em 2010, Maluma já mostrou a que veio. Com letras calientes e batidas viciantes, o cantor colombiano de 25 anos conquistou o público latino e, há pouco mais de dois anos, chegou ao coração dos brasileiros. E chegou para ficar!

Leia também: Anitta surge ao lado de Maluma e lembra briga: "Não te amei por um tempo"

Maluma, sem camisa, com colares, e óculos escuros
Reprodução/Youtube
O single Mala Mía faz parte do novo álbum de Maluma, denonimado F.A.M.E., que foi divulgado em maio deste ano


A gente sabe que em países como a Colômbia, Venezuela, México, Chile e Uruguai, por exemplo, o reggaeton, dominado por Maluma, é um dos principais ritmos e domina as paradas musicais sempre que uma música é lançada. Por aqui, não foi diferente.

Em 2016, por exemplo, Anitta lançou a viciante Sim ou Não , com participação do cantor . Não precisamos dizer que foi uma das músicas mais tocadas do ano, não é mesmo? O ritmo viciante e as batidas contagiantes fizeram com que o rapaz ficasse conhecido por aqui, atingindo também o mercado brasileiro que, já sabemos, também é um grande consumidor da música latina.

Leia também: Madonna lança clipe de “Medellín” com o colombiano Maluma

De lá para cá, quase que na mesma estratégia que a própria brasileira, o colombiano chegou a lançar um álbum completo mas, além disso, tem investido pontualmente em singles, sem que, necessariamente, façam parte de seus discos. E, por falar em álbum, o cantor acaba de lançar “11:11”.

Antes disso, “Pretty Boy, Dirty Boy”, de 2015, e “F.A.M.E”, DE 2018, fixaram o sucesso dele no Brasil com hits como “Sin Contrato”, “Borró Cassette”, “El Perdedor” e “Felices Los 4”. Agora, o galã latino aposta em parcerias importantíssimas para conquistar, ainda mais, seu público fora da América Latina, já que nos países latinos só dá ele.

Leia também: Madonna confirma parceria com Maluma em primeiro single de seu novo álbum

Abaixo, confira as parcerias mais relevantes do rapaz com nomes femininos consagrados na música ao redor do mundo.

  • Anitta


Há poucos anos, Anitta resolveu investir melhor na carreira latina e acertou em cheio ao escolher o rapaz como uma de suas primeiras parcerias em espanhol. Sim ou Não ganhou uma versão total na versão latina, intitulada Sí o No e, até hoje, conta com milhões de visualizações no Youtube, sem contar as reproduções nas plataformas de streaming.

A colaboração deu tão certo que o bad boy convidou a amiga para o remix de Mala Mía , lançado em dezembro de 2018, conquistando ainda mais o público brasileiro.

  • Fifth Harmony


O grupo feminino já chegou ao fim, mas antes deixou sua marca na vida e carreira do latino, em uma das várias versões de Sin Contrato . Três, das cinco ex-integrantes do extinto grupo pop, possuem origem latina, o que resultou num ótimo desempenho.

  • Becky G


Nome reconhecido no cenário latino, Becky G topou fazer parte da parceria do rapaz com Anitta, trazendo ainda mais força para o sucesso Mala Mía , lançada no fim do ano passado. Becky, inclusive, também participou do novo álbum de Anitta, “Kisses".

  • Shakira


A gente nem precisa falar que uma colaboração com a rainha latina, Shakira, é uma tremenda honra. Não satisfeito, o colombiano fez TRÊS! Chantaje , Clandestino e Trap , lançadas entre 2016 e 2018, levaram a carreira do cantor ainda mais para o alto.

  • Madonna


Por último, mas não menos importante, Madonna foi a mais recente escolhida de Maluma. Ou foi o contrário? O que importa é que Medellín está nas paradas e indo muito bem, obrigada! O bonitão ainda anunciou a próxima colaboração com a rainha do pop. Soltera está em seu próximo álbum, “11:11”.