Tamanho do texto

Entre estreantes como Duda Beat e veteranos como Gil e Elza Soares, conheça os melhores discos nacionais de 2018 de acordo com o iG Gente

Mais um ano se encerra e a música brasileira mostra que continua muito bem, obrigada. A MPB segue dando muitos frutos, o rap se mantém inventivo e o pop ganhou novos nomes que já chegaram na cena impressionando. Os discos nacionais deste ano mostram a pluralidade de sons, estilos e culturas que fazem do Brasil um país tão diversificado.

Karol Conká, Pabllo Vittar e Duda Beat estão entre os melhores discos nacionais de 2018
Divulgação
Karol Conká, Pabllo Vittar e Duda Beat estão entre os melhores discos nacionais de 2018

Na retrospectiva 2018 do iG Gente , selecionamos o melhor da música nacional com os álbuns que se destacaram na cena. Do retorno de Marcelo D2 a estreia de Duda Beat, confira os 10 melhores discos nacionais do ano:

Leia também: Por que ainda precisamos de Elza Soares?

  • Pabllo Vittar – “Não Para Não”
Os melhores discos nacionais de 2018
Divulgação
Os melhores discos nacionais de 2018

Pabllo já havia entrado na lista em 2017 com “Vai Passar Mal” e a expectativa para o seu segundo álbum era grande. A cantora não decepcionou e entregou um trabalho completo: tem música para a pista ( Problema Seu ), tecnobrega ( Seu Crime ) e baladas ( Disk Me ).

  • Baco Exu do Blues – “Bluesman”
Os melhores discos nacionais de 2018
Divulgação
Os melhores discos nacionais de 2018

O baiano Diogo Moncorvo conquistou o Brasil em 2017 com seu disco de estreia “Esú”. Com letras bem íntimas, ele foi uma das principais revelações da música. No auge de seus 22 anos, ele segue embalado e no ano seguinte volta a lista com o brilhante “Bluesman”. Baco esbanja inspiração desse disco que é ainda mais pessoal e fala de amor próprio, depressão e vulnerabilidade. Seu maior destaque, Me Desculpa Jay-Z fez com que o artista chegasse aos ouvidos da própria Beyoncé, que lhe mandou uma mensagem no Instagram.

  • Karol Conká – “Ambulante”
Os melhores discos nacionais de 2018
Divulgação
Os melhores discos nacionais de 2018

“Quer falar de superação? Muito prazer sou a própria”. Karol levou cinco anos para lançar o sucessor de “Batuk Freak”, que a alçou ao estrelato, e dessa vez ela veio mais completa e complexa. Sem pedir desculpas ou licença, Karol fala em “Ambulante” sobre seu caminho até aqui, exaltando a mulher negra e ainda desfilando hits que cabem na pista assim como seu maior sucesso Tombei .

  • Elza Soares – “Deus é Mulher”
Os melhores discos nacionais de 2018
Divulgação
Os melhores discos nacionais de 2018

Deus é mulher e o nome dela é Elza Soares. A trajetória da artista octogenária já era uma das mais elogiadas da música brasileira, mas Elza mostrou em 2015 que não tinha a intenção de parar e lançou “A Mulher do Fim do Mundo”, que fez renascer sua carreira e a fincou ainda mais como uma das maiores artistas brasileiras. Não suficiente, ela entregou outro presente para a música na forma de “Deus é Mulher” e deixou claro que sua força criativa está longe de se perder.

  • Duda Beat – “Sinto Muito”
Os melhores discos nacionais de 2018
Divulgação
Os melhores discos nacionais de 2018

Uma coisa é clara nessa retrospectiva 2018 : o ano foi das mulheres na música nacional e internacional. Uma das revelações do ano com certeza é a recifense Duda Beat. Da terra do Manguebeat ela misturou uma série de referências do pop ao brega para criar “Sinto Muito”. Duda canta sobre o amor moderno, as relações passageiras e a intervenção tecnologia cada vez mais presente nas relações. Bixinho não sai da cabeça e Duda é uma daquelas artistas que quebram as barreiras do gênero musical e fazem uma mistura bem brasileira.

  • Marcelo D2 – “AMAR é para os FORTES”
Os melhores discos nacionais de 2018
Divulgação
Os melhores discos nacionais de 2018

Quem disse que só Beyoncé pode lançar álbuns visuais? Marcelo D2 deu um tempo depois de “Nada Pode Me Parar” para se rearranjar. O rapper, que esse ano também foi  retratado no cinema em “Legalize Já”, voltou com um trabalho bonito e pessoal em “AMAR é para os FORTES”.

  • Gilberto Gil – “Ok Ok Ok”
Os melhores discos nacionais de 2018
Divulgação
Os melhores discos nacionais de 2018

Outro grande artista nacional que lançou novidade em 2018 foi Gilberto Gil. “Ok Ok Ok” é Gil em sua essência. Ele presta homenagem aos netos e até o médico que o tratou em 2016 quando foi internado com graves problemas de saúde. Depois de oito anos sem lançar inéditas e com a saúde renovada, Gil fala de velhice, da passagem do tempo e da fragilidade que acompanha o ser-humano.

  • Heavy Baile – “Carne de Pescoço”
Os melhores discos nacionais de 2018
Divulgação
Os melhores discos nacionais de 2018

O funk voltou a ascender nos últimos anos, mas o predomínio é de letras e batidas similares. Por isso o Heavy Baile se destaca: eles optam pelo caminho mais difícil para oferecer o melhor do funk carioca com cara de Brasil. “Carne de Pescoço” é o primeiro trabalho do grupo formado por Leo Justi, DJ Thai e Mc Tchelinho e conta com as participações de BaianaSystem e Tati Quebra Barraco, entre outros.

  • Anavitória – “O Tempo é Agora”
Os melhores discos nacionais de 2018
Divulgação
Os melhores discos nacionais de 2018

Depois de estourarem na internet e lançarem seu primeiro álbum, chegando inclusive a serem indicadas ao Grammy Latino, Ana Clara Caetano e Vitória Falcão embarcaram em uma nova aventura: o cinema. As duas são as estrelas de uma espécie de autobiografia que mistura a real história das meninas com romances ficcionais em “Ana e Vitória”. Ana Clara escreveu novas músicas que acabaram servindo como base para o roteiro do longa e culminaram em “O Tempo é Agora”.

  • IZA – “Dona de Mim”
Os melhores discos nacionais de 2018
Divulgação
Os melhores discos nacionais de 2018

IZA tinha alta expectativa para cumprir este ano com o lançamento de seu primeiro álbum e não decepcionou. Para fechar a lista dos melhores discos do ano está a cantora carioca que dominou a música em 2017 com Pesadão e continuou este ano com "Dona de Mim” e o hit Ginga .