Tamanho do texto

Serão 20 longas da nova safra da cinematografia francesa e mais um clássico. O preço dos ingressos serão praticados conforme os cinemas de cada região

O grande Festival Varilux de Cinema Francês 2018 está chegando ao Brasil. Entre os dias 7 e 20 de junho, 63 cidades brasileiras receberão em seus cinemas os 21 filmes participantes, sendo 20 longas-metragens da nova safra da cinematografia francesa e um clássico: o famoso “Z”, de Costa-Gavras. O preço dos ingressos serão os praticados conforme os cinemas de cada região.

Leia também:Mostra de cinema de Hong Kong traz clássicos com Jackie Chan e Bruce Lee a SP

Festival Varilux de Cinema Francês
Divulgação
Festival Varilux de Cinema Francês

Além disso, entre junho e julho, 15 filmes da programação serão exibidos gratuitamente, em 29 unidades culturais do SESC,  levando o Festival a municípios onde geralmente o cinema francês não chega. Somando o total de 88 cidades brasileiras envolvidas no Festival Varilux

Leia também: "GLOW" e "Luke Cage" são os grandes destaques de junho na Netflix

Para o diretor do festival, Christian Boudier, a parceria com o SESC é um motivo de comemoração: “A parceria com o SESC Nacional permite que o Varilux alcance um público que não costuma ter acesso à cinematografia francesa, reforçando nosso trabalho de democratização do Festival e formação de plateia no País”.

Confira a vinheta que apresenta brevemente os 21 filmes:

A abertura na capital paulista será no dia 6 de junho com a presença da delegação artística, formada por diretores e atores. No Rio de Janeiro, acontecerá no dia 7. Já Salvador ganhará uma pré-estreia do evento no dia 4 de junho, onde o Festival Varilux levará parte da delegação pela primeira vez para o nordeste.

Lista de filmes do Festival Varilux :

“50 São Os Novos 30” - De Valérie Lemercier

“A Busca Do Chef Ducasse” - De Gilles de Maistre

“A Noite Devorou O Mundo” - De Dominique Rocher

“Nos Vemos No Paraíso” - De Albert Dupontel

“Carnívoras” - De Jérémie Renier,Yannick Renier

“Custódia” - De Xavier Legrand

“O Último Suspiro” - De Daniel Roby

“O Poder De Diane” - De Fabien Gorgeart

“A Excêntrica Família De Gaspard”  - De Antony Cordier

“Gauguin – Viagem Ao Taiti” - De Edouard Deluc

“A Aparição” - De Xavier Giannoli

“Troca De Rainhas” - De Marc Dugain

“O Orgulho” - De Yvan Attal

“Marvin” - De Anne Fontaine

“O Amante Duplo” - De François Ozon

“Promessa Ao Amanhecer” - De Eric Barbier

“Primavera Em Casablanca” - De Nabil Ayouch

“A Raposa Má”- De Benjamin Renner, Patrick Imbert

“O Retorno Do Herói” - De Laurent Tirard

“De Carona Para O Amor” - De Franck Dubosc

“Z” (Clássico) - De Costa–Gavras

Leia também: Prêmio Jabuti completa 60 anos e aposta em novo modelo: "vamos fazer escola"

Entre os 21 títulos, destacam-se três produções: “Custódia” (Jusqu'à la garde), de Xavier Legrand, que acompanha a disputa entre um casal pela guarda do filho. O filme, inclusive, foi vencedor do Prêmio de Melhor Direção e Melhor Primeiro Filme no Festival de Veneza.

“A Excêntrica Família de Gaspard” (Gaspard va au mariage), de Antony Cordier, comédia melancólica sobre o adeus à infância, desejo e tempo. “O Poder de Diane” (Diane a les Épaules), de Fabien Gorgeart, que gira em torno de uma mulher que concorda em gerar o filho de um casal de amigos homossexuais e promete abordar o assunto com humor no Festival Varilux.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.