Tamanho do texto

Com 176 milhões de usuários de serviços de streaming pagos, o serviço passou a ser a maior fonte de renda da indústria musical no mundo

O relatório Global de Música 2018 da Federação Internacional da Indústria Fonográfica ( IFPI ) foi divulgado nesta terça-feira (24), com números que mostram que os serviços de streaming como Apple Music e Spotify, se tornaram a maior fonte de renda da indústria da música.

Leia também:Alice Braga e Gabriel Leone serão Eduardo e Mônica em filme que estreia em 2019

Streaming  passa a ser a maior renda da indústria musical
Divulgação
Streaming passa a ser a maior renda da indústria musical

O relatório da IFPI revela que, pela primeira vez, o streaming passou a ser a maior fonte de renda da indústria musical, tomando a posição que antes era ocupada por shows e venda de discos. O serviço se tornou o principal impulsionador da recuperação das receitas e se tornou a maior fonte de receita com 176 milhões de usuários de serviços de streaming pagos, contribuindo para um crescimento ano-a-ano de 41,1%.

Leia também: Tudo que rolou na noite de gala e anti-spoilers de "Vingadores: Guerra Infinita"

O serviço ainda representa 38,4% do total de receitas de música gravadas e seu crescimento, mais do que compensou uma queda de 5,4% na receita física e um declínio de 20,5% na receita de download. Ainda de acordo com o relatório as receitas totais para 2017 foram de US $ 17,3 bilhões.

Streaming dominando a indústria musical

Frances Moore, executivo-chefe da IFPI, conta que essas mudanças têm sido beneficente para a indústria. "Tem sido outro ano incrivelmente empolgante para a música. O trabalho e o investimento de gravadoras permitem que artistas brilhantes e diversificados atinjam fãs ao redor do mundo, fazendo trilhas sonoras e enriquecendo cada vez mais e formas imersivas de apreciar a música que amam.” Segundo a IFPI, no ano passado, a receita dos serviços de streaming por assinatura representou 38% de toda a música gravada, e no ano anterior 29 %.

Leia também: Alvo de preconceito, K-Pop extrapola música e se consolida como cultura viva

"A indústria está em um caminho positivo de recuperação, mas está muito claro que a corrida está longe de ser vencida. As gravadoras estão continuando em seus esforços para colocar a indústria de volta a um caminho estável e, para esse fim, continuamos nossa campanha para consertar a lacuna de valor. Isso não é apenas essencial para a música prosperar no mercado global de hoje, mas para criar o justo - ambiente justo para que isso aconteça no futuro", explicou Moore.

Após 15 anos de declínio significativo de receita, o streaming , com um crescimento acelerado nos últimos anos, ajudou a Indústria Fonográfica a se recuperar em seu terceiro ano consecutivo, desde que a IFPI começou a acompanhar o mercado em 1997. No entanto, apesar do recente aumento, as receitas para 2017 ainda são apenas 68,4% do auge do mercado em 1999.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.