Tamanho do texto

O fotógrafo está se preparando para registrar o terceiro casamento real da sua carreira e contou ao iG Gente um pouco sobre sua experiência; confira

Seja um casamento real, o nascimento de mais um membro nas famílias nobres ou mesmo em chás comemorativos, a câmera de  Tim Rooke sempre está presente para eternizar o momento pelo mundo. Registrando os momentos das famílias reais mundo afora há mais de 20 anos, o fotógrafo conversou com o iG Gente para falar um pouco mais sobre como é viver por trás das câmeras nesse universo tão distante para a maioria da população.

Fotógrafo da Família Real, Tim Rooke se prepara para fazer o seu terceiro casamento da nobreza
Divulgação
Fotógrafo da Família Real, Tim Rooke se prepara para fazer o seu terceiro casamento da nobreza

Leia também: Britânicos apostam em Arthur ou James para nome de novo bebê real

“Eu sempre sinto que eu estou fotografando a História. O mundo mudou com a cultura de celebridades – e agora há muito mais pessoas famosas”, comenta o fotógrafo da Família Real . Para o fotógrafo, não foi apenas o que é considerado uma celebridade que mudou, mas também a maneira de como lidar com as informações que chegam desses grandes nomes na mídia.

Leia também: Macaulay Culkin revela traumas com a fama e razão de afastamento do cinema

“Eu acho que a maior mudança é que há mais cobertura de tudo agora. Por causa da internet, as pessoas precisam de imagens o tempo todo para centenas de histórias diferentes. Quando comecei, a princesa Diana era a mulher mais famosa do mundo, além de Madre Teresa. Hoje, com reality shows, parece que todo mundo é ‘famoso’”, comenta.

Segundo Rooke, no começo da sua carreira era necessário encontrar alguém em um aeroporto para carregar as imagens ao Reino Unido. As imagens não estariam ainda processadas e levaria um pouco mais de tempo para que, enfim, emergissem ao público. Entretanto, hoje o ritmo é outro: “é tudo sobre a velocidade e com a câmeras digitais eu posso fazer algumas milhares de imagens por dia e elas estarão no site da Shutterstock em menos de alguns minutos disponíveis para o mundo ver e licenciar”, reflete.

Casamento real

Para Tim Rooke, um casamento real é muito semelhante a um traidicional, “exceto pelos milhões de espectadores pelo mundo”. O casamento do príncipe Harry com Meghan Markle, que está marcado para o próximo 19 de maio deste ano, é um dos grandes momentos da agenda do fotógrafo e ele não mede palavras para demonstrar animação pelo evento. “Esse será, esperançosamente, o terceiro casamento real da minha carreira”, comenta.

Segundo o fotógrafo, o casamento será muito popular, já que convidaram o público para visitar o Castelo de Windsor para compartilhar o dia especial. “É bom ver o público ser incluído como parte das comemorações, é um reflexo do caráter e dos valores da noiva e do noivo”, reflete. Rooke já cobriu o casamento de príncipe Charles e Camilla Parker Bowles, além do noivado e casamento de príncipe William e Kate Middleton e do anúncio oficial desta nova união.

“O castelo é um grande espaço. Eu imagino que o acesso será muito restrito desta vez também. Ninguém tem ideia de quantos fotógrafos poderão atirar neles saindo da igreja”, comenta. “Em um trabalho normal, descobrimos uma semana ou duas antes de um evento. Com esse evento, eles estão nos fornecendo informações a contagotas - imagino que descobriremos em breve. Aconteça o que acontecer no casamento, eu terei uma boa foto do casal no dia e espero capturar uma foto do casal parecendo feliz saindo da igreja”, completa.

Leia também: Limites pra quê? Taylor Swift é a rainha dos fãs loucos


Proximidade com a família real

Fotografia do príncipe Harry tirada por Tim Rooke na Nova Zelândia
Tim Rooke
Fotografia do príncipe Harry tirada por Tim Rooke na Nova Zelândia

Segundo Rooke, a família real britânica não é muito de posar para uma fotografia, algo que não ocorre, por exemplo, com a realeza na Noruega e na Suécia. Em sua recente ida aos dois países, o fotógrafo relembra que o príncipe William e a duquesa acabaram tendo que ceder às pressões de parar para tirar fotografias pois estavam acompanhados da realeza local. O momento, para o profissional, foi descrito como “bastante interessante”.

“Existem alguns membros da família real britânica que são mais fáceis de fotografar. A Duquesa da Conrwall sempre olhará ao redor para ver onde você está e parar para uma foto. Entretanto, o Príncipe de Gales nem sempre está preparado para parar para nós”, comenta. “A condessa de Wessex sempre olha em volta para nós também. Ela estava na conferência antes de se casar com o príncipe Edward, então, obviamente, ela entende o valor de uma imagem”, completa o fotógrafo.

Já o noivo mais badalado do momento pode ser bastante espontâneo, segundo Rooke. “Nós estavamos fazendo uma caminhada na Nova Zelândia quando um bebê estava gritando, então Harry decidiu gritar para o bebê. Foi tão engraçado e estou tão feliz por ter captado o momento diante da câmera”, relembra o fotógrafo.

Tim Rooke em ação
Divulgação
Tim Rooke em ação

Apesar do momento cômico vivido, Rooke ressalta que os jovens da nobreza real possam ser distantes dos fotógrafos. “O que aconteceu com a sua mãe obviamente afetou sua relação com a imprensa. De qualquer forma, eles mudaram muito nos últimos anos e ficou mais fácil fotografá-los”, explica.

Enquanto isso, a noiva por outro lado parece ser mais recolhida quando o assunto são as câmeras a sua volta. “Estou a procura de tirar mais fotografias da Sr. Markle. Ela é a única que teve apenas algumas aparições públicas”, comenta. “Eu sei que muitas pessoas estão muito interessadas em seu estilo e eu gostaria de tirar fotos fashion dela, mas é dificil porque ela sempre está segurando as mãos do Príncipe Harry ou ficando muito próximo a ele fazendo com que esse tipo de fotografia seja difícil. É muito doce”, analisa.  

Estar em volta de tantos nomes da realeza, entretanto, não tem tanto segredo. Segundo Rooke, o básico é apenas se vestir de maneira formal e não gritar para eles. “Realmente apenas sendo educado, como você esperaria de qualquer outro chefe de estado ou líder. É mutuamente benéfico capturar uma boa foto”, aconselha.

Uma grande lembrança

Diana era educadora infantil antes de se casar com o Príncipe Charles, em 29 de julho de 1981
Getty Images
Diana era educadora infantil antes de se casar com o Príncipe Charles, em 29 de julho de 1981

A princesa Diana de fato marcou a história e também a memória de muitos dos fotógrafos ao redor do mundo, como o de Tim Rooke. Para ele, um dos seus momentos de brilho na carreira foi uma fotografia que fez de Diana, algumas semanas antes dela morrer.

 A imagem, entretanto, não agradou o profissional de cara, já que o mordomo Paul Burrell aparece. “No entanto, depois que Paul Burrell foi a julgamento, esta imagem foi uma das únicas fotos dos dois juntos e tornou-se a imagem mais vendida para o negócio em 2002. Paul Burrell diz que é sua foto favorita de si mesmo e da princesa”, relembra o fotógrafo da família Real.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.