Tamanho do texto

O evento acontece nos dias 20 e 21 de abril deste ano, no Sesc Pompeia, em São Paulo; iniciativa apresenta artistas latino-americanas e africanas

Criado para evidenciar os talentos da cultura periférica pelo mundo, o festival Britadeira - Sons de Favela é o nome do projeto que toma conta do Sesc Pompeia em abril. Nesta edição, atrações brasileiras e afriacanas ganharam mais destaque.

Leia também: Rock in Rio e Globosat se unem para maior festival digital da América Latina

MC Carol foi uma das funkeiras que se posicionou contra a canção nas redes sociais
Reprodução
MC Carol foi uma das funkeiras que se posicionou contra a canção nas redes sociais

Em coletiva de imprensa, Guilherme Tavares, um dos curadores do festival Britadeira - Sons da Favela, explicou: "A ideia do Britadeira é evidenciar as estéticas culturais das periferias do Brasil e do mundo, trazendo à cena grandes agentes de transformação social por meio da música."

Leia também: Festival de música reúne mulheres artistas em uma série de eventos em São Paulo

Serão dois dias de muita música, conceito, batida e cultura periférica no Sesc Pompeia, em São Paulo. Os protagonistas deste evento serão nada mais, nada menos, que Mc carol, o grupo musical Abronca, o haitiano Wesli e a transsexual Titica. 

Primeiro dia de Festival

Abronca domina os festival que enaltece a cultura periférica. As antigas Pearls Negras estão prontas para arrasar
Divulgação - Festival dos Sons
Abronca domina os festival que enaltece a cultura periférica. As antigas Pearls Negras estão prontas para arrasar

Quem abre o evento musical é o jovem trio de rap/trap feminino Abronca. Detentoras de rimas contundentes e beats dançantes elas prometem arrasar. Para quem não se lembra, Slick, Jay e Mari são as antigas Pearls Negras, que retornam para relatar suas trajetórias nos morros cariocas.

Na sequência, ainda no mesmo dia, quem domina o palco é o cantor multi-instrumentista e haitiano Wesli. Com letras em francês, inglês e crioulo, sua banda mescla reggae roots, afrobeat, soul e música haitiana com uma harmonia surreal. 

Segundo dia de Britadeira - Sons da Favela

Titica é um ícone do Kuduro. A haitiano transsexual já cantou no Rock In Rio e agora vai arrasam no Sesc Pompeia
Divulgação - Britadeira - Festival dos Sons
Titica é um ícone do Kuduro. A haitiano transsexual já cantou no Rock In Rio e agora vai arrasam no Sesc Pompeia

Já no dia 21 de abril, é o funk carioca que toma conta do Festival Britadeira, agora, sob o comando de MC Carol.

Nascida em Niterói, no RJ, a funkeira é presença garantida nos bailes da zona norte do Rio há quase cinco anos. Detentora de inúmeros sucessos como Minha Vó Tá Maluca Bateu Uma Onda Forte , Mc Carol é a grande estrela da noite e promete fazer todo mundo descer até o chão no Sesc Pompeia.

E quem fecha o evento com chave de ouro é a haitiana e transsexual Titica. Ícone do kuduro angolano, artista é Embaixadora da ONU. Sua trajetória é marcada por sua carreira de cantora a sua jornada como ativista.

Sempre lutando contra a homofobia, suas vitórias são claramente notadas em seus shows, que trazem o mais repercutido som das ruas de Luanda. 

Leia também: Filme sobre impeachment de Dilma Rousseff é destaque do Festival É Tudo Verdade

Vale ressaltar, que o festival   Britadeira - Sons da Favela acontece nos dias 20 e 21 de abril de 2018, sempre a partir das 21h30, no Sesc Pompeia, em São Paulo. Os ingressos podem custar de R$ 12 a, no máximo, R$ 40.  Os interessados podem adquirir um no site ou presencialmente nas unidades Sesc SP.