Se em “Guardiões da Galáxia” Nebulosa ressurge como uma grande vilã, talvez em “Vingadores: Guerra Infinita” as coisas mudem um pouco – ou radicalmente. O longa que chega no fim deste mês no Brasil traz como eixo principal o confronto dos vingadores com o vilão Thanos, que pretende dominar o mundo de uma forma maléfica. Apesar de ser o pai de Nebulosa, a personagem não terá piedade para combate-lo e novas alianças poderão ser formadas. Pelo menos é isso o que já adiantou Karen Gillan ao iG Gente . A atriz contou um pouco sobre como foi trabalhar neste novo filme e o que podemos esperar dessa nova fase da personagem.

undefined
Reprodução
Karen Gillan em "Guardiões da Galáxia Vol.2" como a personagem Nebulosa

Leia também: Downey Jr. fala de morte no próximo "Os Vingadores". Qual herói deve morrer?

“O grande vilão nos filmes [Thanos] está no seu momento final. É a revolta derradeira da Marvel. É o ultimato”, conta Karen Gillan . Interpretando a filha de Thanos, a atriz afirma que, neste longa, Nebulosa ressurge com muita força para as telonas.  “Seu pai a abusa toda a vida e agora ela está muito brava e tem uma grande motivação para tirar as coisas dos pais, de desrespeitar as leis e de emoções aflorarem”, comenta, revelando que a filha finalmente irá confrontar o patriarca da família.

Leia também: Segura! Chris Pratt vem ao Brasil para promover “Vingadores: Guerra Infinita”

Em um mundo de grandes confrontos, Nebulosa parece não ter piedade para não firmar brigas com a sua família. Segundo a atriz, a relação com Gamora ainda será bastante conflituosa neste novo longa. “Eu acho que vocês realmente querem que haja uma relação entre uma e a outra, mas não há como fazer isso agora por enquanto. Acho que talvez iremos explorar um pouco desse relacionamento já que temos uma grande questão em mãos”, opina a atriz.

Karen Gillan responde: Heroína ou vilã?

undefined
Reprodução
Para a atriz, a heroína já não se encaixa mais como a vilã da história

Acompanhando as mudanças nos mundos dos super-heróis, Nebulosa é uma daquelas personagens multidimensionais, que apresenta diversas facetas e durante sua trajetória é possível perceber algumas mudanças em seu comportamento, de “Guardiões da Galáxia” até o novo filme da Marvel.

Leia também: Como os movimentos contra o assédio devem impulsionar as mulheres no audiovisual

“Eu nunca a vi como uma vilã porque eu acho que sempre tem várias maneiras de se olhar para uma história ou uma pessoa e ambas podem nos mostrar alguém como o bonzinho ou o vilão”, explica. “No primeiro filme ela veio como vilã, mas no segundo entendemos um pouco mais sobre ela e sua história, a relação com a sua família, e então de repente ela não parece mais uma vilã. E eu acho que nós vamos continuar nesse caminho. Nós vamos vê-la trabalhando com pessoas no filme que não esperaríamos”, completa a atriz.

A complexidade da personagem para Gillan faz com que muitas pessoas possam se conectar com a personagem, ainda que ela seja uma alienígena azul – bem distante do ser humano. “Ela é representativa para muitas pessoas que temos no mundo real. O que ela sofreu é abuso e eu acho que muitas pessoas sofrem isso no mundo real e podem se conectar aos problemas dela, que são universais”, opina.

Um trabalho de grandes

Apesar de ter conquistado a sétima arte, Karen Gillan tem uma carreira no mundo do cinema um pouco recente. Seu primeiro filme para os cinemas, “Outcast”, foi lançado em 2010, chegando a interpretar Nebulosa pela primeira vez em 2014. Ao lado de artistas veteranos de Hollywood, a atriz comemora: “Foi incrível trabalhar com tantos ícones e atores maravilhosos. E eu cresci admirando os seus trabalhos. Eu pude entender como eles realmente são atores gigantes porque todos foram brilhantes”. “Os Vingadores: Guerra Infinita” estreia no dia 26 de abril no cinemas do Brasil.

    Veja Também

      Mostrar mais