Tamanho do texto

Depois de mudar sua estratégia e publicar quatro capas por ano, editora que publica a Revista Playboy anuncia que deixará de vender produto nas bancas

A Playboy anunciou o fim de uma era com a retirada da revista das bancas . A revista, que existe no Brasil desde 1975, não será mais vendida no comércio de rua, somente por assinaturas. A decisão foi tomada pela PBB Entertainment, que publica a revista desde 2016, quando a editora Abril tirou a marca de seu catálogo.

Leia também: Dez musas da Playboy que posaram para a revista novamente após muito tempo

Luana Piovani na capa da revista do mês de abril da Playboy. Publicação passará a ser apenas on-line e para assinantes
Christian Gaul/Playboy
Luana Piovani na capa da revista do mês de abril da Playboy. Publicação passará a ser apenas on-line e para assinantes

Com o nome mais tradicional entre as publicações de nu feminino , a edição brasileira da Playboy tem sofrido nos últimos anos. Com a desistência da Abril em continuar com a marca, a PBB resolveu assumir o título, mas teve que fazer mudanças. Desde 2017, a revista é lançada a cada três meses.

Leia também: Coelhinhas mostram o bumbum para comemorar Playboy de verão nas bancas

Em nota, a editora afirmou: “A PBB Editora Ltda informa que reduzirá a publicação da edição impressa a um exemplar de colecionador por ano — que será on demand, ou seja, números limitados impressos por encomenda. Assim sendo, a edição de Verão, lançada no final de 2017, põe fim a era da revista na banca e abre espaço para empenharmos nosso trabalho em outras frentes”.

Famosas na Playboy

Agora, trimestral, publicação apostou em coelhinhas para a edição de verão
Reprodução/Instagram
Agora, trimestral, publicação apostou em coelhinhas para a edição de verão

Antes disputando as famosas que teria em sua capa, a publicação viu menos celebridades interessadas em participar dos editoriais. Entre os nomes recentes que se destacam na capa estão Luana Piovani e Juju Salimeni, ambas apostando na temática de “retorno” a publicação.

No passado, a publicação já contou com capas clássicas como Tiazinha, Feiticeira, Grazi Massafera, Deborah Secco, Bárbara Paz, Cléo Pires, Claudia Raia, Alessandra Negrini, Juliana Paes, Mel Lisboa, Xuxa, Hortência e muitas outras.

No mundo, a Playboy também sofreu com a facilidade de encontrar nudez de maneira gratuita na internet. Em 2016, a versão americana chegou a eliminar o nu frontal de seus ensaios, apostando apenas em imagens sensuais.

Leia também: Icônicas! Relembre 15 capas históricas da Playboy americana

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.