Gary Oldman foi muito aplaudido quando seu nome foi anunciado por Helen Mirren e Jane Fonda como o melhor ator no Oscar 2018 por seu papel em "O Destino de uma Nação". A vitória veio por sua segunda indicação. Ele já concorrera anteriormente em 2012 por "O Espião que Sabia Demais".

Leia também: Frances McDormand vence Oscar de Melhor Atriz por "Três Anúncios para um Crime"

undefined
Oscars/divulgação
Gary Oldman no tapete vermelho do Oscar

Concorriam ao Oscar de melhor Ator contra Gary Oldman, Denzel Washington por "Roman J. Israel, Esq.", Daniel Day Lewis por "Trama Fantasma", Timothée Chalamet por "Me Chame pelo Seu Nome" e Daniel Kaluuya por "Corra!". 

Leia também: Eleito melhor filme, "A Forma da Água" lidera Oscar 2018 com quatro estatuetas

undefined
Divulgação
Gary Oldman como Winston Churchil

"Eu gostaria de saudar o Sr. Winston Churchill que tem sido uma companhia maravilhosa no que pode ser descrita como uma incrível jornada", disse o ator durante seu discurso de agardecimento. Ele fez questão de agradecer sua mãe, de 99 anos, que assistiu à cerimônia do "conforto de seu sofá". "Mãe, eu estou levando o Oscar para casa", encerrou emocionado.

Caracterização

Um dos aspectos mais comentados da atuação de Oldman foi a sua caracterização para viver o primeiro-ministro da Inglaterra na época da Segunda Guerra Mundial. Ele está irreconhecível por trás da maquiagem que, aliás, também foi reconhecida com um Oscar na noite de domingo. 

Leia também: Oscar 2018: saia-justa com Ryan Seacrest marca o tapete vermelho

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários