Tamanho do texto

Banda envolveu o público e entregou uma performance impecável em São Paulo na noite de terça-feira (27), com abertura do Queens of The Stone Age

O rock está morto? Em determinado momento da noite Dave Grohl, aos berros, fez essa pergunta para o público. Ele mesmo respondeu por meio do setlist do Foo Fighters, que somou os melhores hits da banda e agradou o público na terça-feira (27) em São Paulo. A noite começou com os brasileiros do Ego Kill Talent e seguiu com o Queens of the Stone Age , que criou o tom pra uma noite que seria intensa. A banda soltou seus principais hits, como No One Knows , Make It Wit Chu e Little Sister , mas a recepção as faixas de “Villains”, seu mais recente álbum, foi morna. Ainda assim, um simpático Josh Homme, com a missão de desfazer a má impressão que causou quando chutou uma fotógrafa em um show recente, levantou o público, que até o final da noite não chegou a encher Allianz Parque.

Leia também: Os dez shows mais inesquecíveis do Lollapalooza Brasil

Foo Fighters mostra fôlego renovado em show impecável em São Paulo na terça-feira (27)
Camila Cara
Foo Fighters mostra fôlego renovado em show impecável em São Paulo na terça-feira (27)

Depois de pouco mais de uma hora de show, eles deixaram o palco para a entrada do Foo Fighters pontualmente às 20h50. E a banda pegou os presentes de surpresa. Se tem uma palavra pra definir a primeira metade do show é essa: pauleira. Eles escolheram os melhores hits, e os mais pesados, fazendo um início de show impossível de não embalar. Run abriu a noite, seguida de All My Life , Learn to Fly e The Pretender . Só aí o show já estava ganho, mas o Foo Fighters não tem preguiça e se dispôs, nas duas horas seguintes, a mostrar o seu melhor absoluto.

Leia também: De volta! Foo Fighters libera novo single com direito a videoclipe

Taylor time

Taylor Hawkins dividiu os holofotes com Dave Grohl: teve solo de bateria, cover do Queen e música solo
Camila Cara
Taylor Hawkins dividiu os holofotes com Dave Grohl: teve solo de bateria, cover do Queen e música solo

Dave Grohl e o baterista Taylor Hawkins estavam mais afinados do que nunca! Os dois se revezaram numa jam que terminou em um grande solo de bateria e num dos poucos momentos onde os holofotes não estiveram em Grohl. A bateria de Taylor foi elevada e ele cantou Sunday Rain, balada do último disco gravada com Paul Mccartney . Muitas pessoas escolheram essa hora pra ir ao banheiro e quem o fez um dos melhores momentos do show. O baterista ainda ganharia destaque mais a frente, quando a banda foi apresentada e ele pode mostrar seu look – uma calça legging com estampa de tigre, muito elogiada por Grohl.

Nessa hora, foi possível ver um dos vários momentos em que Dave se impressionou com a plateia, soltando um “oh shit”. Apresentando cada membro da banda, eles embalavam alguns covers: teve Ramones, Rolling Stones e Love of my Life , do Queen , que o público cantou junto, impressionando o frontman que confessou que o Brasil é o único País que canta a música toda.

Show a parte

O publico, inclusive foi um show a parte! Mais uma vez Ghrol se impressionou e mandou outro “oh shit” ao ouvir o coro de Breakout , sem nenhum instrumento. Ao longo do show, foram vários os momentos de sintonia entre banda e público, inclusive em The Sky is a Neighborhood , que rendeu um estádio todo iluminado pela plateia.

Leia também: "Depressão é uma doença", diz Dave Grohl sobre suicídios de músicos

Dave Grohl está muito perto de se tornar um “tiozão” do rock. Com 49 anos, ele corre menos no palco e investe mais em jams pra dar um respiro entre uma música e outra. Mas, seu comprometimento em fazer o público aproveitar cada instante do show continua o mesmo. Ele prometeu musicas de todos os álbuns, disse que seria uma longa noite e foi: mais de duas horas com o melhor Foo Fighters imaginável.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas