Tamanho do texto

A série é um remake de uma atração dos anos 1970 e, apesar do gênero clássico policial estadunidense, aborda questões quentes do momento

As ruas de Los Angeles não serão mais as mesmas a partir da próxima segunda-feira (26), quando a nova série da Fox , “S.W.A.T.” estreia. Inspirada em um programa homônimo de 1975 e em um filme de 2003, a atração tem a sua trama baseada na dinâmica de uma equipe da tropa de elite do Departamento de Polícia de Los Angeles e as suas relações com a comunidade. A primeira temporada é composta por 22 episódios, cada um com cerca de uma hora de duração.

S.W.A.T. estreia na Fox na próxima segunda-feira (26)
Divulgação
S.W.A.T. estreia na Fox na próxima segunda-feira (26)

A estreia promete ser quente, já que logo no primeiro episódio, “S.W.A.T.” trará à tona um tema bastante delicado nos Estados Unidos: o racismo. Será diante de uma perseguição à bandidos que um dos policias da tropa de elite acabará atingindo um jovem negro de uma comunidade, desencadeando uma sucessão de eventos – não só dentro do departamento como também na vida dos civis. Nesse contexto, o único policial negro, Hondo (Shemar Moore, de “Criminal Minds”), acaba assumindo o comando da equipe gerando novas tensões e um afastamento de sua amada, Jessica Cortez (Stephanie Sigman), que começa a trabalhar diretamente com o policial. Diferentemente das obras anteriores, Cortez é uma nova personagem na trama que promete ainda dar muito o que falar nesta temporada.

Cena de S.W.A.T.
Divulgação
Cena de S.W.A.T.

“É realmente difícil para algumas pessoas a receber ordens vindo de uma mulher”, comenta a atriz Stephanie Sigman ao iG Gente sobre a personagem. “É muito interessante pra mim ver as coisas dessa perspectiva. As pessoas têm diferentes opiniões sobre as coisas, sobre a policia, o mundo tem falado muito sobre tudo isso e é bom estar agora também como uma chefe mulher em um mundo de homens”, completa.

Na trama, Cortez trabalha em conjunto com os grandes nomes do Departamento e é a comandante da Divisão Metropolitana da Polícia de Los Angeles (LAPD), sendo responsável pelas ações da equipe de Hondo, com quem secretamente mantinha um romance. Logo no primeiro episódio o policial quebra com as regras passadas por sua gestora e ela deixa claro: se isso se repetir, não há perdão. “Eu acho que com Jessica eu me tornei mais mandona. Eu me encontrei dando ordens mais tarde para todo mundo. Eu sinto que Stepanhie está se tornando mais Jessica e é muito engraçado isso”, conta a atriz aos risos.

Uma mexicana nos Estados Unidos

Stephanie Sigman como Jessica Cortez
Divulgação
Stephanie Sigman como Jessica Cortez

Sua personagem interpreta uma mulher típica do século XXI: dona de si, conquistando altos cargos na sua carreira por mérito próprio e com uma preocupação profissional que se eleva às demais questões da vida – incluindo o seu amor. Mexicana e imigrante, a profissional demonstra muita preocupação em manter sua integridade para que suas origens não sejam motivos de abalos na sua carreira, mas isso não é motivo para que a personagem reneguesuas raízes. “Eu queria ter o meu sotaque ainda na série e eu acho que a gente tem que ouvir mais sotaques diferentes na televisão”, conta Sigman. “Eles disseram sim, eu poderia manter, mas de um modo que fique tranquilo para a personagem. Acho que é importante, até porque em Los Angeles todo mundo é acostumado com isso”, completa a atriz.

Acostumada a fazer filmes independentes, Sigman encarou com entusiasmo o desafio de se jogar em uma série policial. “Na televisão, mais pessoas veem o seu trabalho, você vai a mais lugares e isso às vezes não acontece com os filmes, infelizmente”, opina. O trabalho em “S.W.A.T.” nada se aproxima com a produção independente dos Estados Unidos – muito pelo contrário. A série traz à tona todas as estruturas comuns de séries policiais do país, com direito a muito patriotismo, tiroteios e outros clichês presentes neste tipo de produção. Apesar disso, Sigman ressalta: “o programa é muito interessante porque nós temos muita ação, mas também drama, romance e é muito sexy”, comenta aos risos. “Tem muitos momentos de tensão que você quer saber o que vai acontecer, fala sobre problemas reais, sobre sociedade, sobre racismo. Aborda muitas questões e tem até mesmo momentos mais divertidos”, completa a atriz.

Entre tiros e beijos, “S.W.A.T.” promete tirar o fôlego do público e Sigman revela que a passagem pelo Brasil é um desejo: “Nós estamos muito excitados para ir ao Brasil. Eu amo o Rio!”, conta. A série passa às 23h15, logo após a exibição do 9º episódio da 8ª temporada de “The Walking Dead” em versão dublada​.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.