Tamanho do texto

A escola fez um paralelo entre o romance "Frankenstein", que faz 200 anos, e as mazelas sociais brasileiras; veja a repercussão do título do carnaval do Rio

O nome da grande campeã do carnaval carioca foi conhecida na tarde desta quarta-feira (14): a Beija-Flor de Nilópolis conquistou o título depois de levar à Marquês de Sapucaí um paralelo entre o romance "Frankenstein", que faz 200 anos, e as mazelas sociais brasileiras. A escola fechou o desfile das escolas de samba na segunda-feira (12) . Em segundo lugar ficou a Paraíso do Tuiuti , que fez críticas à reforça trabalhista. Já em terceiro, o Salgueiro , que fez um tributo às mulheres negras.

Leia também: Com homenagem ao Maranhão,Tatuapé é bicampeã do carnaval de São Paulo

Beija-Flor de Nilópolis foi a grande campeã do carnaval 2018
Gabriel Nascimento | Riotur
Beija-Flor de Nilópolis foi a grande campeã do carnaval 2018


Depois que o título do carnaval carioca foi confirmado, Raissa Oliveira, Rainha de Bateria da Beija-Flor , foi a primeira a falar. "Valeu muito a pena, cada esforço, cada luta, cada ensaio. A gente está muito feliz e esse título é para a comunidade, para o povo que sofre todos os dias".

Neguinho da Beija-Flor, que continuou anotando as notas mesmo depois do título confirmado, ficou bastante emocionado. "O povo sempre tem razão, a voz do povo, é a voz de Deus", disse. Para ele, o melhor da escola foi a crítica que a agremiação fez com o que acontece com o Brasil. "Muitos sem nenhum e poucos com muitos", completou ele, que levantou a taça de campeão junto com os componentes da Tuiuti.

Marcelo Misailidis, responsável pela concepção cênica da campeã, também falou. "É uma vitória da arte". Ele ainda ocmpletou dizendo que luxo não é pluma nem ouro "é dar voz ao povo, dar cultura, dar dignidade".

Beija-Flor de Nilópolis
AFP
Beija-Flor de Nilópolis


Leia também: Carnaval do Rio: Beija-Flor, Salgueiro e União da Ilha são destaques

Jojo Todynho, que desfilou pela agremiação, ficou completamente emocionada com o título e não poupou as palavras "A gente botou para foder, o que vem estou quebrando tudo de novo".

Vice-campeã

A Paraíso do Tuiuti, que ficou em segundo lugar, gostou do vice. Leandro Azevedo, diretor de carnaval da escola, relembrou o carnaval passado, quando um caddo da escola atropelou algumas pessoas na Sapucaí. "Ano passado foi muito sofrimento, mas hoje é alegria total".

Carnaval 2018

Leia também: Carnaval do Rio: Mangueira se destaca em noite marcada por protestos

A Beija-Flor fez um paralelo entre o romance "Frankenstein", que faz 200 anos, e as mazelas sociais brasileiras. Corrupção, desigualdade, violência e intolerâncias de gênero, racial, religiosa e até esportiva formaram o cenário "monstruoso".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.