Tamanho do texto

A segunda noite de desfiles das escolas de samba de São Paulo teve homenagens a grandes nomes da músico, México e mais; confira!

De volta ao grupo especial, a  X9 Paulistana abriu a segunda  noite de desfiles do Carnaval de São Paulo na noite do último sábado (10). Ainda passaram pelo Sambódromo do Anhembi  Império da Casa Verde , Mocidade Alegre , Vai-Vai , Gaviões da Fiel , Dragões da Real e Unidos de Vila Maria , que fechou a folia já na manhã deste domingo (11).

Império de Casa Verde foi um dos destaques na segunda noite de desfiles do Carnaval de São Paulo
Reprodução/Liga das Escolas de Samba de São Paulo
Império de Casa Verde foi um dos destaques na segunda noite de desfiles do Carnaval de São Paulo


Leia também: Carnaval de São Paulo: primeiro dia de desfiles é marcado por homenagens

Os grandes destaques da segunda noite de desfiles do Carnaval de São Paulo ficaram por conta da Vai-Vai, que homenageou Gilberto Gil, Mocidade Alegre, que falou sobreAlcione, e Império de Casa Verde, que falou das regalias da alta socidade e desigualdade social

X9 Paulista

X-9 Paulistana
Felipe Araújo/Divulgação
X-9 Paulistana


Com o enredo "A Voz do Samba é a Voz de Deus - Depois da Tempestado, Vem a Bonança", a X9 retornou ao grupo especial do carnaval com um desfile simples, porém que animou o úblico. O único problema foi que Tarine Lopes, Madrinha de Bateria, perdeu o tapa-sexo e agora a escola corre risco de perder alguns pontos.

Leia também:  Bruna Marquezine causa sensação no 1º dia de carnaval carioca; veja fotos

Desfile da X9
Reprodução/Liga das Escolas de Samba de São Paulo
Desfile da X9


Com Juju Salimeni à frente da bateria, a escola da zona norte teve um cavalo de troia em seu carro abre alas e um ditado popular que representava cada alegoria e ala.

Império da Casa Verde

Império de Casa Verde
Reprodução/Liga das Escolas de Samba de São Paulo
Império de Casa Verde


Campeã em 2016, a Império de Casa Verde falou sobre as regalias da alta socidade e desigualdade social. Com um ótimo desfile, a escola trouxe um abre alas com baianas de dama da corte e ainda levou o Egito e a corte francesas para seu desfile.

A agremiação teve alegoria com guilhotina, fez paralelos com a situação atual do país e teve o movimento "Vem Pra Rua" incorporado no enredo. O tradicional tigre fechou o desfile, que tem grandes chances de voltar no desfile das campeãs.

Mocidade Alegre

A Mocidade Alegre falou sobre Alcione
Reprodução/Liga das Escolas de Samba de São Paulo
A Mocidade Alegre falou sobre Alcione


Sempre muito esperada, a Mocidade Alegre homenageou Alcione com o enredo "Uma Voz Marrom Que Não Deixa o Samba Morrer".  A escola lembrou diferentes fases da carreira da cantora, a Mangueira, escola de samba de Alcione, e o Maranhão, estado de origem dela.

Mocidade Alegre
Reprodução/Liga das Escolas de Samba de São Paulo
Mocidade Alegre


Os carros alegóricos levaram temáticas de músicas da cantora como Não Deixe o Samba Morrer e Delírios de Amor. A homenageada, é claro, esteve presente no desfile.

Vai-Vai

Vai-Vai homenageou Gilberto Gil em seu desfile
Reprodução/Liga das Escolas de Samba de São Paulo
Vai-Vai homenageou Gilberto Gil em seu desfile


A Vai-Vai levou Gilberto Gil para o Anhembi com o enredo "Sambar Com Fé Eu Vou". Em seu desfile, a escola de samba homenageou a Bahia, a música e contou com famosos como a Miss Brasil Monalysa Alcântara, o cantor Belo, Cafu e o próprio homenageado.

Vai-Vai na avenida
Reprodução/Liga das Escolas de Samba de São Paulo
Vai-Vai na avenida


Gaviões da Fiel

Desfile da Gaviões da Fiel
Reprodução/Liga das Escolas de Samba de São Paulo
Desfile da Gaviões da Fiel


Com o enredo "Guarus – Na Aurora Da Criação a Profecia Tupi...Prosperidade e Paz Aos Mensageiros De Rudá", a Gaviões da Fiel falou sobre a cidade de Guarulhos em seu desfile.

Gaviões da Fiel
Reprodução/Liga das Escolas de Samba de São Paulo
Gaviões da Fiel


A escola de samba teve fogo em seu abre alas e contou a história dos índios Guarus, que deram nome à cidade. Um carro com o tradicional gavião também marcou presença. Além disso, a escola, como sempre, contou com a presença de uma grande torcida.

Leia também: Carnaval: fantasias de índia de Viviane Araújo e Paolla Oliveira rendem polêmica

Dragões da Real

Dragões da Real falou sobre música sertaneja e caipira
Reprodução/Liga das Escolas de Samba de São Paulo
Dragões da Real falou sobre música sertaneja e caipira


A Dragões da Real levou a música caipira e sertaneja para o Anhembi e é um dos destaques da segunda noite de carnaval. As alegorias acompanharam o samba enredo e fizeram alusão a clássicos da música sertaneja como  Romaria , Ainda Ontem Chorei De Saudade , Fogão De Linha , Evidências, e Fio de cabelo. A natureza e a vida no campo também foram temas explorados.

Dragões da Real
Reprodução/Liga das Escolas de Samba de São Paulo
Dragões da Real


Unidos de Vila Maria

A Vila Maria falou sobre a cultura mexicana
Reprodução/Liga das Escolas de Samba de São Paulo
A Vila Maria falou sobre a cultura mexicana


"Aproveitam-se de minha nobreza, você não soube, não te contaram? Suspeitei desde o princípio! Não contavam com a minha astúcia! Arriba, Bolaños! Arriba, Vila! Arriba, México!", foi com esse enredo que a Vila Maria falou sobre o México no desfile que fechou o carnaval de São Paulo. A escola trouxe um abre alas com a Turma do Chaves e do Chapolin Colorado.

Unidos de Vila Maria
Reprodução/Liga das Escolas de Samba de São Paulo
Unidos de Vila Maria

Os membros da bateria também vieram fantasiados de Chaves. A primeira porta-bandeira da escola teve um problema ainda na concentração do desfile e acabou desfilando de shorts, o que deve fazer com que a escola perca alguns pontos no resultado final do Carnaval de São Paulo.



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.