Tamanho do texto

Há uma década o Grammy não premia um artista negro na categoria Álbum do Ano. O último foi Herbie Hancock, com “River: The Joni Letters”, em 2008

A 60ª cerimônia anual do Grammy Awards trouxe uma curiosidade na categoria Álbum do Ano: será a primeira vez na história que um homem branco não está concorrendo na categoria. Esse ano, os indicados a Álbum do Ano são Jay-Z (“4:44”), Kendrick Lamar (“DAMN.”), Bruno Mars (“24K MAGIC”), Childish Gambino (“Awaken, my Love!”) e Lorde (“Melodrama”).

Leia também: As 10 melhores performances da história do Grammy

Bruno Mars é um dos artistas negros indicados a Álbum do ano no Grammy Award 2018
Divulgação
Bruno Mars é um dos artistas negros indicados a Álbum do ano no Grammy Award 2018




Os artistas negros, por muitas vezes, recebem mais indicações no Grammy Award que artistas brancos, porém, não faturam os prêmios. Em 2017, artistas negros como Kanye West, Drake e Frank Ocean, disseram que o Grammy não trata de forma justa os artistas negros e mais jovens, e que iriam boicotar o prêmio por suas falhas quanto à representatividade negra.

Como parte do boicote, Frank Ocean decidiu não participar das inscrições do Grammy com seus dois álbuns lançados em 2016, “Blonde” e “Endless”. Os álbuns de Ocean foram aclamados pela crítica e figuraram nas mais importantes listas de “melhores discos” (2016).

Quando questionado sobre esse episódio, Ocean minimizou a importância do Grammy: "Essa instituição certamente tem uma importância nostálgica, mas ela não representa as pessoas que vem de onde eu vim, e que acreditam no que eu acredito", disse. Kanye West participou do Grammy 2017 com o disco “The life of Pablo”, concorrendo a oito categorias, mas não conquistou nenhuma. 

Frank Ocean sobre o Grammy: “racismo na indústria”
Divulgação
Frank Ocean sobre o Grammy: “racismo na indústria”




Leia também: Oscar chega aos 90 anos mais diverso e receptivo ao cinema de gênero

Os produtores do Grammy, em 2013, criticaram Frank Ocean pelo formato escolhido pelo cantor para apresentar “Forrest Gump”, dizendo que não era um “grande momento de TV”, mas que Ocean “tinha uma ideia definida que gostaria de fazer e como gostaria de fazer”. O rapper respondeu em uma carta pública e posicionou-se publicamente contra o que ele diz ser “racismo na indústria”: “Ganhar um prêmio de televisão não me batiza como um sucesso. Eu demorei um tempo para entender isso. Vocês sabem o que realmente não é um "grande momento de TV"? "1989" (disco de Taylor Swift) pegando o Grammy de Álbum do ano em vez de "Pimp a butterfly" (álbum de Kendrick Lamar). Mãos para baixo. Essa foi uma das maiores "falhas" de TV que eu já vi”, escreveu Ocean sobre o Grammy de 2016.

Entre 2007 e 2017, dos 50 indicados ao prêmio de Álbum do Ano, 14 eram artistas negros, mas, apenas um artista levou o prêmio: Herbie Hancock , com o disco “River: The Joni Letters” (2008). A artista negra que teve mais indicações ao prêmio de melhor disco é Beyoncé : “I’m Sasha Fierce” (2010), “Beyoncé” (2015) e “Lemonade” (2017). Beyonce não levou o prêmio em nenhuma das edições, em 2010, perdeu para “Fearless” de Taylor Swift. Em 2015, o artista Beck levou com o álbum “Morning Phase” e no ano passado, a britânica Adele superou Beyoncé com o disco “25”. A vitória de Adele sobre Beyoncé na categoria principal do Grammy Awards em 2017 levantou um debate sobre a representatividade dos artistas negros dentro do prêmio. “Lemonade” recebeu nove indicações e levou apenas dois prêmios, Melhor álbum urban e Melhor clipe.  Kendrick Lamar está em segundo lugar com duas indicações a Álbum do ano: “To Pimp a Butterfly” (2016) e “Good kid, M.A.A.D City” (2014). 

Beyoncé grávida de gêmeos durante apresentação no Grammy 2017
Reprodução/Twitter
Beyoncé grávida de gêmeos durante apresentação no Grammy 2017










Beyoncé x Adele 

Um dos casos mais recentes sobre "a pouca representatividade negra" no Grammy,  foi quando o álbum “Lemonade” de Beyoncé, perdeu para o “25” de Adele. A cantora britânica fez questão de elogiar publicamente sua “concorrente” na categoria enquanto recebia o prêmio: “Eu não posso aceitar esse prêmio. Estou honrada e agradecida, mas a artista da minha vida é a Beyoncé. Esse álbum, o ‘Lemonade’, foi tão monumental, Beyoncé. Foi tão monumental e bem-pensado e libertador, e todos nós pudemos ver um outro lado seu que você nem sempre nos permite ver. E nós agradecemos por isso. Todos os artistas aqui adoram você. Você é nossa luz. E a forma como você fez eu e meus amigos nos sentirmos, a forma como você fez meus amigos negros se sentirem é empoderador. E você os fez fortes. Eu sempre te amei e sempre vou te amar”, disse Adele. 

Beyonce e Adele disputaram na categoria Álbum do ano no Grammy 2017
iG Arte
Beyonce e Adele disputaram na categoria Álbum do ano no Grammy 2017




Leia também: Adele vence Beyoncé e continua seu reinado no Grammy

Em seu Twitter,  Solange Knowles, irmã da artista, fez uma referência à carta de Frank Ocean e também ressaltou a falta de reconhecimento da premiação: “Houve apenas dois vencedores negros na categoria de Álbum do ano nos últimos 20 anos. Contudo, mais de 200 artistas negros performaram. Criem suas próprias comunidades, construam suas próprias instituições, entreguem prêmios a seus amigos e sejam mais valiosos do que um Grammy”, disse Solange. “Lemonade” rendeu a Beyoncé Melhor álbum urbano contemporâneo e Melhor videoclipe por “Formation” no Grammy Award 2017.

Taylor Swift x Kendrick Lamar

Kendrick Lamar era o grande favorito do Grammy Awards 2016, com 11 indicações, inclusive a Álbum do ano com "Pimp a butterfly". O álbum de Kendrick foi aclamado pela crítica e era o favorito a levar o prêmio, porém, Taylor Swift venceu o rapper e o disco com “1989”. Levando o gramafone em cima de Lamar, Taylor Swift tornou-se a primeira mulher a ganhar duas vezes o principal troféu do evento. Em parceria com Kendrick Lamar, Taylor ganhou Melhor videoclipe com a faixa Bad Blood . Kendrick levou cinco prêmios, entre eles "Pimp a butterfly", como Melhor Álbum de Rap.

Taylor Swift e Kendrick Lamar no Grammy Award 2017
iG Arte
Taylor Swift e Kendrick Lamar no Grammy Award 2017








Retrospectiva dos artistas negros nos últimos 10 anos  na categoria Álbum do Ano do Grammy Award:

2007 - Gnarls Barkley "St. Elsewhere" (indicado)

2008 - Herbie Hancock "River: The Joni Letters" (vencedor) e Kanye West "Graduation" (indicado)

2009 - Lil’ Wayne  "Tha Carter III" (indicado) e Ne-Yo "Year of the Gentleman" (indicado)

2010 - Beyoncé “I’m Sasha Fierce” (indicado)

2011 - não houve nenhuma indicação de artista negro na categoria 

2012 - Bruno Mars "Doo-Wops & Hooligans" (indicado) e Rihanna "Loud" (indicado)

2013 - Frank Ocean "Channel Orange" (indicado)

2014 - Kendrick Lamar "Good Kid, M.A.A.D. City" (indicado) 

2015 - Beyoncé "Beyoncé" (indicado ) e Pharrell Williams "Girl" (indicado)

2016 - Kendrick Lamar "To Pimp a Butterfly" (indicado) e The Weeknd "Beauty Behind the Madness" (indicado)

2017 - Beyoncé "Lemonade" (indicado)

Indicados a Álbum do Ano no Grammy 2018 : Jay-Z “4:44”, Kendrick Lamar “DAMN.”, Bruno Mars “24K MAGIC” e Childish Gambino “Awaken, my love!”. 

Herbie Hancock com seus prêmios no Grammy 2008 por Álbum do Ano e Melhor Álbum de Jazz Contemporâneo
Los Angeles Times
Herbie Hancock com seus prêmios no Grammy 2008 por Álbum do Ano e Melhor Álbum de Jazz Contemporâneo


Desde 1959, quando a premiação do Grammy começou, até hoje, apenas 10 músicos negros levaram o prêmio concorrendo na categoria  Álbum do Ano :

  • Stevie Wonder : “Innervisions” (1974), “Fulfillingness’ First Finale” (1975) e “Songs in the Key of Life” (1977);
  • Michael Jackson : “Thriller” (1984)
  • Lionel Richie : “Can’t Slow Down” (1985);
  • Quincy Jones : “Back on the Block” (1991);
  • Natalie Cole : “Unforgettable With Love” (1992);
  • Whitney Houston : “The Bodyguard: Original Soundtrack Album” (1994);
  • Lauryn Hill : “The Miseducation of Lauryn Hill” (1999);
  • Outkast : “Speakerboxx/The Love Below” (2004);
  • Ray Charles : “Genius Loves Company” (2005) e 
  • Herbie Hancock : “River: The Joni Letters” (2008).

A 60º edição do Grammy Award acontece em 28 de janeiro, no Madison Square Garden, em Nova York, e terá como mestre de cerimônias o humorista James Corden.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.