Tamanho do texto

Após polêmica cena sobre a sexualidade feminina, o diretor Guillermo del Toro explicou sua importância e ainda disse não ter glamorizado ato no filme

O longa “A Forma da Água” é a principal sensação da temporada de premiaçõe e recebeu 13 indicações ao Oscar na última terça-feira (23), o filme dirigido por Guillermo del Toro tem uma cena de masturbação que está causando polêmica nos Estados Unidos e em entrevista ao site “IndieWire” o diretor explica a razão e importância dela: “Eu quis mostrar que Elisa não é uma princesa animada dos contos de fadas".

Leia também: Elton John anuncia aposentadoria de turnês mundiais e marca despedida

Guillermo del Toro explica sobre importância da cena de  masturbação da personagem Elisa (Sally Hawkins)  em
Divulgação
Guillermo del Toro explica sobre importância da cena de masturbação da personagem Elisa (Sally Hawkins) em "A Forma da Água"


Masturbação ainda é um grande tema de tabu para a sociedade, mas Guillermo del Toro rompe esse lema em “ A Forma da Água ” em cena que Elisa ( Sally Hawkins ) a personagem principal aparece se tocando. “Eu escrevi este papel para Sally porque ela é extraordinária e ordinária ao mesmo tempo”, diz o diretor. No filme, Elisa é muda e se apaixona por essa estranha criatura que vive em uma instalação secreta nos Estados Unidos, em um tanque cheio d’água, isso faz com que a personagem se encante com o elemento.

Leia também: Com "The Post", Spielberg reafirma valores do jornalismo como ciência social

Guillermo del Toro, diretor do filme
Divulgação
Guillermo del Toro, diretor do filme "A Forma da Água" explica importância da cena de masturbação no longa

A maneira como a sexualidade dela é tratada no enredo mostra o natural da figura feminina. E o diretor afirma: “Eu queria mostrar a maneira como ela usa a água, por exemplo, para cozinhar os ovos, depois ela entra na água, se masturba, engraxa seus sapatos, vai para o trabalho. Uma rotina perfeitamente aceitável para qualquer padrão".

Leia também: Meryl Streep é indicada ao Oscar pela 21° vez; relembre todas as suas indicações

Guillermo del Toro explicou ainda que a sexualidade feminina é descrita de forma artificial ou glamourizada, e em “A Forma da Água” ele quis mostrar o mais natural e humano possível e comenta: “O momento em que os dois personagens ficam juntos, o anfíbio e ela, é feito de maneira muito humana" . O filme estreia em 1º de fevereiro no Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.