Tamanho do texto

Timothée Chalamet é a sensação da temporada e, com dois longas em competição, desponta como um dos novos nomes do cinema

Quase todo ano vemos um novo nome despontar entre os novos queridinhos de Hollywood na temporada de premiações . Emma Stone e Jennifer Lawrence estão nesse grupo, assim como Saoirse Ronnan e até mesmo Anna Kendrick. Essas atrizes despontaram novas e, depois de suas indicações, desenvolveram frutuosas carreiras como protagonistas. Claro que nem sempre essa é a regra, mas ter um filme no Oscar é uma boa plataforma para alavancar a carreira. Mesmo quem não é indicado, como Trevante Rhodes, pode se beneficiar de uma boa temporada do filme (nesse caso, “Moonlight”). Esse ano não será diferente e o nome que desponta como um dos destaques da temporada é Timothée Chalamet. 

Leia também: Delicado, "Me Chame pelo Seu Nome" contribui para fim do rótulo "filme gay"

Em
Divulgação
Em "Me Chame Pelo Seu Nome", Timothée Chalamet vive as dores e os prazeres do primeiro amor ao lado de Armie Hammer

Com 22 anos, o ator está em dois filmes bem colocados nessa temporada: “ Lady Bird ” e “ Me Chame Pelo Seu Nome ”. E Timothée Chalamet não poderia ser mais distinto neles. No primeiro ele faz um dos interesses amorosos da protagonista, um jovem avesso ao “sistema”, que parece ser do contra mais para evitar as convenções do que por convicção. Seu jeito “rebelde” atrai a protagonista, que vê nesse menino o oposto do marasmo da vida na sua cidade. Em “Lady Bird” Kyle, seu personagem, está em vantagem: é o objeto de desejo da protagonista, que se vê interessada por ele em meio ao turbilhão de sentimentos que está vivendo.

Leia também: Michael Stuhlbarg é o melhor coadjuvante dessa temporada de prêmios

Em “Me Chame Pelo Seu Nome”, ele vive o oposto. No longa de Luca Guadagnino ele é Elio, um jovem de 17 anos que passa os dias de verão na casa da família na Itália. Misturando as línguas italiana, francesa e inglesa, ele amolece no sol, entre passeios ao rio, jogos de vôlei com amigos e muitos cigarros. Nesse verão, como todos os outros, o pai recebe um aluno para um tipo de estágio. Mas, nesse verão, ao contrário de outros, ele se vê interessado pelo aluno.

Ele é um dos interesses amorosos de Saoirse Ronnan em
Divulgação
Ele é um dos interesses amorosos de Saoirse Ronnan em "Lady Bird"

“Me Chame Pelo Seu Nome” dá a oportunidade de Chalamet não só explorar seu talento, como mostrar um lado mais atento e delicado de seu trabalho como ator. Curiosamente, outro ator deveria estar em posição parecida, mas acabou suprimido no meio do caminho. Lucas Hedges foi coadjuvante de um dos filmes mais comentados da temporada passada, “Manchester á Beira-Mar” e, esse ano, está presente em duas produções: ao lado de Thimotée em “Lady Bird” e em “Três Anúncios Para um Crime”. Mas ele não teve a mesma repercussão de Chalamet que, vale ressaltar, não é o favorito na categoria de melhor ator, mas segue figurando em todas as listas de prêmios.

O caminho até aqui

Timothée tem mãe americana e pai francês, portanto cresceu falando duas línguas. O italiano veio especificamente para o longa de Guadagnino, bem como tocar violão e se aperfeiçoar no piano. Mas, o ator teve um bom histórico de treino, tendo estudado em uma das escolas mais concorridas de arte nos EUA, a LaGuardia High School, em Nova York. Foi lá, inclusive, que ele conheceu e namorou por um tempo com Lourdes Leon, filha da cantora Madonna.

Futuro

Chalamet vai estrelar o próximo filme de Woody Allen ao lado de Selena Gomez
Divulgação
Chalamet vai estrelar o próximo filme de Woody Allen ao lado de Selena Gomez

Os créditos de Chalamet ainda são tímidos, com participações menores em projetos como “Insterestelar” e “Homeland”, mas só esse ano, além dos longas citados, ele ainda está em “Hot Summer Nights” (sem previsão de estreia no Brasil) e “Hostiles”, que estreia esse mês nos EUA.

Além disso, ele tem mais dois projetos engatilhados: “A Rainy Day in New York”, de Woody Allen , e “Beaultiful Boy”, sobre um jovem viciado em drogas. O filme de Woody Allen, inclusive, tem mostrado disposição de Chalamet em fazer campanha para o Oscar. Em meio a controvérsias envolvendo o diretor, o ator anunciou que doaria seu cachê do filme ara instituições que apoiam os direitos das mulheres.

Quase todo ano vemos um novo nome despontar entre os novos queridinhos de Hollywood na temporada de premiação. E Timothée Chalamet tem tudo para superar essa temporada com uma carreira repleta daqui em diante. Afinal, são só 22 anos.

Leia também: Consagração de Gary Oldman, força feminina e drama gay: o que esperar do Oscar?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.