Tamanho do texto

Após assinar carta contra “puritanismo sexual”, Catherine Deneuve pede desculpas às vítimas de assédio, mas reafirma posição contra crescente de intolerância. Diretora executiva da Playboy no Brasil concorda com a diva

A atriz francesa Catherine Deneuve, de 74 anos, que se viu envolvida em uma polêmica após vir a público defender sua opinião dizendo que os homens deveriam ser "livres para flertar" com as mulheres e assinou carta publicada junto a outras 99 mulheres no jornal francês “Le Monde” responsabilizando o movimento feminista #MeToo  por uma crescente de "totalitarismo". Ela se manifetsou neste domingo reafirmando sua posição, mas desculpou-se com as vítimas de assédio sexual.

Leia também: Escritora Margaret Atwood aquece debate sobre acusações de assédio

Atriz Catherine Deneuve
Reprodução Twitter
Atriz Catherine Deneuve


Em texto publicado no site do jornal "Liberation" na noite deste domingo (14), a atriz Catherine Deneuve pediu desculpas as vítimas de assédio sexual após a carta contra “puritanismo sexual”, dizendo que seu apoio foi tirado do contexto. “Evidentemente nada naquele texto pretende apresentar o assédio como algo bom. Se não eu nem o teria assinado”, justificou.

E em meio a essa onda de polêmicas sobre assédio sexual, a diretora executiva da Playboy no Brasil, Cida Gonçalves , também decidiu dar a sua opinião sobre o assunto, e em artigo enviado ao iG , a diretora relata ter ficado feliz com o manifesto das francesas. Leia o artigo na intriga.

Leia também: Aziz Ansari e a nova onda de acusações de assédio que tomou Hollywood

MOI AUSSI, CATHERINE DENEUVE…EU TAMBÉM!

Por Cida Gonçalves, diretora executiva da PLAYBOY BRASIL


Fiquei feliz ao ler o manifesto feito pelas francesas, encabeçado por ninguém menos que a mitológica Catherine Deneuve!

Discordo dessa onda de protestos que se agiganta diariamente contra os homens, taxando-os, todos, sem excessão, de machistas, primitivos, chauvinistas e por aí afora…

Não se fortalece a mulher enfraquecendo os homens. O que precisamos é de mulheres fortes que sejam capazes de dizer "sim, eu quero" ou "não, eu não quero, caia fora".

Como se consegue isso? Educando nossas meninas e mulheres para serem independentes, donas da própria vida, das próprias vontades e desejos! Isso sim é empoderamento feminino.

Hoje vejo homens assustados , amedrontados, porque até olhar uma mulher com desejo é considerado assédio sexual! Caminha-se para o perigoso momento em que o ritual da conquista, da sedução, do olhar, da piscadela marota e do sorriso ousado passam a se metamorfosear em perigo de escândalo, cadeia. Pura tolice !

Não estou falando aqui de violência, coação, agressão sexual, atos libidinoso, estupro. Crime é crime. Estou falando de sedução, pura e simples, elogios que vêm de surpresa (fazem bem para o ego!), convite para um café depois do trabalho ou até mesmo para uma transa casual (se ambos estão dispostos, se os sinais são evidentes, por que não?). Mas a arte da sedução está virando crime! Está tudo misturado no mesmo balaio de abusos e sedução está virando sinônimo de agressão.

Deixar-se seduzir não é fraqueza.

Sempre me senti uma mulher empoderada, e desde os tempos que ninguém pronunciava essa palavra, desde que ela sequer era bandeira ou fazia parte dos dicionários. O que me deu empoderamento? Independência !
Ser independente financeiramente e emocionalmente sempre me deu o poder de escolha, de aceitação, de rejeição, de diversão, de me permitir às delícias da sedução!

E é pra isso que devemos fazer campanhas , pela igualdade e liberdade, que possamos seduzir e ser seduzidas. É aí que mora o segredo e a beleza desse mundo já tão combalido de tantas misérias, cada vez mais difícil e sem cor. Deixemos que homens e mulheres sejam livres para viver a sexualidade sem amarras, sem medos e com prazer.

Que tenhamos a liberdade de dizer NÃO mas também a oportunidade de poder dizer SIM!

Leia também: Militantes francesas repudiam artigo de Catherine Deneuve contra #MeToo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.