Tamanho do texto

As militantes francesas pontuaram cada trecho do artigo de Catherine Deneuve e afirmam que não têm vergonha de lutar contra o assédio sexual

Em resposta a carta de Catherine Deneuve, publicada no jornal francês Le Monde , contra o movimento feminista #MeToo , a feminista Caroline de Haas e outras 30 militantes francesas publicaram um artigo de opinião no mesmo jornal condenando o manifesto contracorrente e dizendo também que elas - a atriz francesa Deneuve, a crítica de arte Catherine Millet (autora do livro "O outro lado de Catherine M",) e mais 98 mulheres  - estão tentando abafar um debate que por muito tempo foi oprimido pela sociedade.

Leia também: Catherine Deneuve e outras 99 mulheres culpam #MeToo por clima "totalitário"

Carolina de Hass, feminista francesa que respondeu a carta de Catherine Deneuve
Reprodução Facebook
Carolina de Hass, feminista francesa que respondeu a carta de Catherine Deneuve


No texto intitulado “Os porcos e seus aliados têm razão de ficar preocupados”, as feministas afirmam que as mulheres (incluindo  Catherine Deneuve ) que consideram as denúncias contra o assédio sexual uma questão de “puritanismo” são “em sua maioria reincidentes na defesa de pedófilos e na apologia do estrupo”. No texto, as feministas ressaltam que não tem vergonha de lutar contra o assédio sexual: “Somos vítimas de violências, não temos vergonha e estamos determinadas a acabar com as violências sexistas e sexuais”.

Caroline de Hass e as outras feministas ainda afirmam que o artigo de Deneuve é “para defender o direito agredir sexualmente as mulheres e para insultar as feministas ”. A defesa veio com a seguinte afirmação: “Toda vez que o direto das mulheres evoluem, que consciências são despertadas, as resistências aparecem”. O artigo de Caroline pontuou cada argumento contra o movimento feminista de Deneuve e considerou que a argumentação “mistura deliberadamente uma relação de sedução, baseada no respeito e no prazer, com uma violência”.

Movimento #MeToo

O movimento #MeToo (eu também, em português) e #BalanceTonPorc (denuncie seu porco, em português) são campanhas que surgiram para relatar e denunciar casos de abuso sexuais. As hashtags tornaram-se popular no Instagram e no Facebook depois de relatos corajosos de atrizes que foram abusadas sexualmente ou sofreram algum assédio psicológico de um dos maiores produtores de cinemas do mundo Harvey Weinstein. Atrizes como Angelina Jolie (‘Sr. & Sra. Smith’), Cara Delevigne (‘Esquadrão Suicida’) e Gwyneth Paltrow (‘Homem de Ferro 2’) relataram alguns dos abusos feitos pelo produtor.  

Carta de Catherine Deneuve

Além da atriz francesa Catherine Deneuve, escritoras, pesquisadoras e jornalistas dizem “que o estupro é crime”, mas, consideram que “os homens são livres para abordar mulheres”.  Sarah Chiche (escritora e psicanalista), Catherine Robbe- Grillet (atriz e escritora), Peggy Sastre (autora, jornalista e tradutora) e Abnousse Shalmani (escritora e jornalista) também redigiram o artigo.

Catherine Deneuve e outras 99 mulheres culpam #MeToo por criar um clima
Reprodução/Twitter
Catherine Deneuve e outras 99 mulheres culpam #MeToo por criar um clima "totalitário"


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.