Tamanho do texto

Hit de Luis Fonsi e Daddy Yankee dominou as paradas em 51 países, quebrou recordes e estabeleceu novos patamares para a música latina. A música que referencia 2017 é uma das personalidades do ano na lista do iG Gente

De vez em quando acontece. Uma música aparece e, do nada, vira um fenômeno. Às vezes esse fenômeno é restrito ao Brasil, como “ Ai Se Eu Te Pego ”, do Michel Teló ou “ Balada Boa ” do Gusttavo Lima (quem nunca cantou tchererê tche tche mesmo sem querer?). Esse ano, Anitta dominou as paradas e faz todo mudo repetir “Paradinha” enquanto ela e Pabllo Vittar fizeram todos cantarem “Sua Cara”. Porém, nada supera o alcance de “Despacito”.

Leia também: 10 músicas latinas para quem está viciado em "Despacito"

''Despacito'' é a música do ano e um fenômeno sem igual. A música latina quebrou vários recordes esse ano
Divulgação
''Despacito'' é a música do ano e um fenômeno sem igual. A música latina quebrou vários recordes esse ano

A faixa de Luis Fonsi foi lançada lá no começo do ano, em janeiro, com a participação de Daddy Yankee , escrita pelos dois com a colaboração da cantora panamenha Erika Ender. O que aconteceu desde então não tem outra descrição além de “impressionante”. O clipe de “ Despacito ” tem mais de quatro bilhões de visualizações no YouTube, e a música acaba de ser indicada a três prêmios Grammy . O feito não é pequeno: no canal de vídeos superou “ Gangam Style ” do Psy, que ocupava o topo da lista desde 2012. Cantada em espanhol, a música alcançou outra marca histórica: se tornou a primeira faixa no idioma a ficar 16 semanas no primeiro lugar da “ Billboard Hot 100 ”, ranking que mede as músicas mais ouvidas nos EUA. A única outra faixa a chegar a 16 semanas é “ One Sweet Day ” da Mariah Carey em 1996.

Leia também: Demi Lovato e Luis Fonsi lançam música juntos. Confira!

O fator Bieber

Se em janeiro a música de Luis Fonsi começou a subir os degraus da fama, em abril ela ganhou um remix com a participação de Justin Bieber que a elevou ao status de estrela global. Bieber também canta em espanhol e a versão dos três alcançou o topo das paradas em 11 países.

Mas, sem Bieber Fonsi também reinou absoluto: a música entrou no topo das paradas de 52 países diferentes. Em agosto, quando a música já havia sido lançada há sete meses, ela já havia quebrado uma série de recordes: mais tempo em 1º lugar para uma música não em inglês, música que ficou mais tempo em número um na década (e no século se considerarmos o espanhol), primeiro vídeo a atingir 3 bilhões de visualizações e vídeo mais curtido na história do YouTube .

O alcance da música e esses recordes impressionam ainda mais considerando que raramente uma faixa em espanhol tem essa chance de entrar em mercados como o americano ou inglês, por exemplo. “ Macarena ” e “ La Bamba ” foram as únicas duas faixas a alcançar algo parecido. No YouTube, o vídeo que ocupava a primeira posição, “ See You Again ”, do Wiz Khalifa com Charlie Puth, levou dois anos para chegar ao posto. E foi desbancado por “Despacito” em dois meses.

Devagarzinho

Acontece. De vez em quando acontece de uma música aparecer e, do nada, estourar no mundo inteiro. Mas essa música não é latina, não é um reggaeton, não é de um artista porto-riquenho. Até agora.  

Leia também: “ Despacito ” e Kendrick Lamar dominam indicações ao Grammy

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.